quinta-feira, outubro 11, 2007

O que vale a Verdade para os Media


Acabo de ver um episódio de uma esplendorosa série inglesa sobre o rei Henrique VIII, creio que no canal 1, onde assisti pasmado ao casamento da irmã do rei, Margarida Tudor, com um rei Português, podre de velho, que a dita Margarida assassina com uma almofada, para poder regessar a inglaterra com o amante inglês. Claro que a corte portuguesa era um bando de saloios, contrastando com o bem parecido amante inglês.


Acham bem? Aguma vez ouviram falar desta rainha de Portugal? Pois, eu também não. Vejam o que consta na Wikipedia sobre a dita senhora:


"Pelo Tratado de Paz Perpétua, assinado entre Henrique VII e Jaime IV da Escócia, foi acertado o casamento entre Margarida e o monarca escocês, dezesseis anos mais velho que ela... O casal teve seis filhos, mortos na infância, exceto o quarto, o príncipe Jaime.
Quando seu marido foi assassinado, em 1513, seu filho tornou-se Jaime V."


Viram, afinal, não foi com o rei de Portugal, foi com o da Escócia!!!


Que tal este exemplo da qualidade das verdades veiculadas pelos media? E isto numa matéria que qualquer um pode entender. Imaginem agora o que se passará nos que versam temas "científicos"...


Imagem: Margarida Tudor, fonte Wikipedia

14 comentários:

alf disse...

Gerir por Objectivos é mais compensador do que por Valores; como disse o Alfred Nobel, o mentiroso ganha sempre ao homem sério. Ou o astrónomo Magalhães: "os conselhos da avózinha são o estigma do fracasso".

O "esperto" ganha sempre ao "bom" nesta nossa sociedade, por isso os vencedores não têm Valores, agem em função dos objectivos.

Suponho que a Alita ainda terá ocasião de mostrar algumas das monumentais mentiras que têm servido para gerir a sociedade actual na boa direcção - um interessante exemplo de como gerir por objectivos pode ser melhor do que respeitar Valores... ou não...

A guerra entre Valores e Objectivos é um problema antigo, mas ainda por resolver...

Tarzan disse...

«O "esperto" ganha sempre ao "bom" nesta nossa sociedade, por isso os vencedores não têm Valores, agem em função dos objectivos.»

Não estará a generalizar demais? Não será uma visão muito romântica?

Acerca do post, lembrei-me duma observação que li ontem num blogue e que dizia que "nos apercebemos melhor da má qualidade dos media quando estes escrevem sobre nós"

Tarzan disse...

«Gerir por Objectivos é mais compensador do que por Valores; como disse o Alfred Nobel»

Já Max Weber dizia que os hoemns deviam ser julgados pelo resultado das suas acções e não pelas suas intenções". De boas intenções está o Inferno cheio.

Tarzan disse...

Ó alf,

só agora reparei no teaser que está aqui na coluna da direita. Muito bom!

alf disse...

Tarzan, só uma observação: as acções podem ter um resultado a curto prazo e outro muito diferente a longo prazo.

é aqui que a importância dos Valores surge; porque os valores são a forma de obter bons resultados a longo prazo. É isso, que no fim importa. Mas como se gere para obter resultados a curto prazo, conduz-se para o desastre a longo prazo.

Espero que a Alita ainda venha a dar uns exemplos do que estou a dizer..

Tarzan disse...

Então estamos completamente de acordo.

alf disse...

Para quem não viu o episódio, aqui vai uma análise da questão.

Aquela cena do casamento em Portugal estava completamente deslocada em relação ao resto do filme. Todas as personagens dos filme são "normais" excepto os portugueses, que surgem como um bando de toscos, como uns atrasados mentais; a noite de núpcias é de um ridiculo atroz.

Isto não surge com o objectivo de aumentar as audiências, não tem nada a ver com a história, é quase um "corpo estranho" ali enfiado. Então, porque aparece?

Só tenho uma resposta: publicidade negativa a Portugal! Aquilo foi feito expressamente para dar uma imagem negativa de Portugal!

Porque razão?

Não é dificil imaginar: o governo inglês anda muito preocupado com a crescente tendência dos reformados ingleses de virem passar o inverno a Portugal, uma considerável sangria na economia britânica.

Porque pensam que o governo português está a investir tanto em publicidade em Inglaterra? Não anda a dormir na forma.

Mas há mais. Porque pensam que o 1º ministro britânico aparece tão envolvido com os McCann? Porque pensam que eles foram ao Papa? Querem melhor palco para dizer ao mundo: em Portugal roubam criancinhas? A grande vantagen competitiva de Portugal sobre outros paises do Sul é a segurança!!

O 1º ministro inglês só se envolve em negócios de estado; é um negócio de estado que está por detrás disto.

Notem que não estou a dizer que se trata de uma acção premeditada; mas que se trata de uma acção aproveitada para este magno objectivo.

Agora estamos numa nova fase: é que se os pais são culpados, o mesmo palco que serviu para denegrir Portugal serve agora o objectivo contrário. Os ingleses não podem consentir nisso pois não?

Então reparem: já não é a PJ que trata do assunto mas o governo português. A equipa que estava a investigar foi toda dispensada, Lisboa vem AGORA chamar a si o assunto, e as análises AGORA têm de passar pelo governo antes de serem entregues à PJ. Cá para mim, andarão a negociar uma saida para este caso... o que irão inventar é que eu não sei...

Como diz o Nobel, o mentiroso ganha sempre ao honesto... vamos a ver como é que nos vamos bater com os mentirosos dos ingleses...

Joaquim Simões disse...

Excelente análise, Alf!
Não vi a série.
Vou pôr uma referência a este post e ao seu comentário no meu blog.

antonio disse...

Uma boa peça de neo-realismo britânico. Mas, Alf lembra-se do filme de Wim Wenders? Ainda não há muitos anos a promoção de Portugal se fazia com as aldeias de pedra, o carro de bois e o rancho folclórico. Os nossos rostos eram marcados pelo sol e tínhamos um esgar desdentado. Esta imagem de um Portugal rural que herdamos do Estado Novo e que só abandonámos com a Expo 98.

antonio disse...

Oh! Alf, você acredita mais na nossa Judite do que no Sócrates? A polícia já fez borrada que chegue. Chegou agora a hora de quem sabe.

Vai ver que as análises provam sem sombra de dúvidas que a Maddie se encontra em Marrocos, viva e de boa saúde!

alf disse...

António
é bem verdade; o ex-libris do país era um burro a puxar a carroça!!!

Mas na cena q que me refiro, mais do que atrasados, os portugueses surgiam como atrasados mentais. Bem... para aguentar o estado novo tanto tempo, eleger autarcas corruptos, etc... lá fora sabem disso, logo devem concluir que.... pois...

alf disse...

António, o 24 horas já arranjou uma teoria: a criança desaparecida não era filha do McCann, logo este deve tê-la feito desaparecer para ficar só com os que ele pensa que são filhos dele... mas não me parece que esta teoria agrade aos ingleses...

É como diz, o Sócrates é que ainda vai solucionar isto!

Rodrigo disse...

Olá,

Podem consultar aqui:

http://www.imdb.com/title/tt0997131/

E ver como esse erro é mesmo como dito no blog.

Tenho uma teoria da conpiracao alternativa: a série é feita pela BBC, que é paga com impostos britânicos; é tudo menos politicamente correcto descrever o rei Escoces como decrepito, e iria originar muitos problemas domesticos. Querendo-se manter uma historia tao boa para novela, é muito mais facil ir buscar um outro pais. Como Portugal é ensinado como aliado historico da Inglaterra, donde sairam varios casamentos e como os ingleses e como Portugal tem má imagem no exterior, Portugal foi concerteza visto como uma boa alternativa. Já na série Fawlty Towers, os ingleses acham engracadissimo o Manuel, que vem de Barcelona.
Mas acho que nao tem nada a ver com Ingleses virem para ca com as reformas...

Abracos, Rodrigo

alf disse...

Rodrigo
Ese link que indicas é interessante porque explica os erros. Afinal o problema não estará com o rei da escócia mas com de França: uma irmã mais nova do rei inglês é que foi enviada para frança para casar com o decrépito Luis XII.
O que dá lugar a outra teoria alternativa - a série tem de ser bem recebida no mercado francês, não podia passar tal cena; e já se sabe que para satisfazer o ego dos povos é sempre preciso encontrar alguém de quem se faz troça. Ora os portugueses estão mesmo à mão de semear, a sua imagem tanto em frança como em inglaterra está bem plantada, os portugueses são um povo muito mais atrasado e ignorante que os outros povos europeus, essa é a grande verdade actual.