domingo, agosto 19, 2007

Níveis de Inteligência


Reparem: se tivermos uma certa quantidade de átomos que se podem mover livremente, eles vão interagir e, em certas condições, podem formar novas estruturas estáveis. As diferentes novas estruturas representam outras tantas hipóteses; algumas destas estruturas irão depois dar origem a novas interacções, ou seja, são seleccionadas pela nova interacção. Neste caso, estamos perante um processo inteligente elementar.

Sim, mas para haver essa fixação de átomos vai ocorrer uma libertação de energia. A energia final do sistema será menor.

Percebo que o Mário busca um ponto fraco; a resposta sai-me imediata:
Não há almoços grátis! – rimo-nos todos – Eu não disse que a inteligência não tinha um custo! O que eu pretendo mostrar, de uma forma apenas intuitiva por agora, é que o Universo é naturalmente inteligente!

Como? explica lá isso outra vez

O Universo, um imenso sistema de partículas e estruturas que interagem livremente, num quadro energético continuamente variável, é um sistema dotado de inteligência intrínseca, elementar mas imensa, tão imensa como o Universo.

Pá, essa é nova para mim. Nunca tinha pensado nisso assim e confesso que me está a fazer confusão atribuir inteligência a um processo de choques de átomos.

Só tens duas alternativas: ou consegues entender que um processo físico desta natureza é um processo elementar de inteligência ou então tens de considerar, como os que se opunham às investigações sobre inteligência artificial, que a inteligência é um processo sobrenatural. Ou pensas como eu ou pensas como eles, ehehehe.

Isso não deve estar lá muito bem mas não é neste momento que eu posso contestar isso. Tenho de pensar.

O momento de pausa é imediatamente aproveitado pela Ana: põe a mão sobre a minha e pergunta-me:

Mas, e a evolução das espécies, como é?

Retiro a minha mão como se dela precisasse para expor a resposta, interrompendo o fluxo de calor que me corria já pelo braço em direcção às orelhas. Juntando as mãos começo a responder:
Se existe um processo elementar de inteligência, o que podemos esperar que aconteça é que este processo elementar gere sistemas de inteligência mais complexos e potentes. Por exemplo, voltando ao caso do labirinto, sabes como é que eu os resolvo?

Não é por tentativa e erro?


Claro que não. Limito-me a fazer o percurso sempre encostado a um dos lados, ou sempre ao lado direito ou sempre ao lado esquerdo. Assim chego sempre à saída do labirinto. Mas para descobrir isto já é preciso um processo de geração de hipóteses mais sofisticado e actuando sobre uma maior quantidade de informação. Digamos que é preciso fazer um uso inteligente da inteligência elementar, no sentido em que as hipóteses já não são opções elementares, ou seja, as que resultam da informação mínima.

Espera lá, estás a dizer que os labirintos se resolvem se formos sempre encostados ao mesmo lado?

Claro!!! Pelo menos certo tipo de labirintos. Mas, pelos vistos, nunca te tinha ocorrido que pudesse existir um processo mais inteligente de resolver um labirinto do que andar ao acaso! Luísa, estás ver a diferença entre um processo inteligente elementar e outro mais avançado?

Isso é o que o Virgílio Ferreira diz interrompe-me a Ana, apanhando-me de novo a mão esquecida sobre a mesa.

Diz o quê?

Diz assim, num dos livros dele: “de que te serve a inteligência se não tens a inteligência de a usar com inteligência? – um brilho de satisfação iluminou aqueles olhos que aceleravam o meu coração. Sinto-me logo mais estimulado. Respondo:
É isso mesmo! – nada como uma afirmação entusiasmada para justificar a retirada da mão - A Inteligência da Natureza desenvolve-se de duas maneiras: por um lado, cada nova estrutura é mais complexa do que as anteriores, o que corresponde a uma hipótese construída sobre uma maior quantidade de informação; por outro lado, estes processos são encadeáveis.

Estás-a-querer-dizer que as células dispõem de uma certa capacidade de inteligência mais sofisticada que o processo elementar?
– Luísa martelou as sílabas, a sua cara tem um ar sério e tenso que eu nunca lhe tinha visto. Sinto que tenho de prosseguir com cuidado.

24 comentários:

antonio disse...

Meu, no post anterior há comentários muito interessantes, e alguns meus, à espera de uma resposta!

Fa menor disse...

Então prossiga lá com cuidado! Escolha bem as palavras... não vão elas formar um labirinto ainda maior...
como disse alguém no post anterior...parece-me que mais ou menos isto: que não se diz o que se sabe nem se sabe o que se diz...

Uma boa semana

antonio disse...

Qual a probabilidade dos números do totoloto seguirem a sequência de Fibonacci?

alf disse...

Fa, pois é, qual é o interesse em falar do que já se sabe? Queremos é descobrir o que não sabemos... eu vou dizendo umas coisas que sei mas sempre a espreitar o que não sei...eheheh

alf disse...

António, continua imparável ehehe!! Quem se lembraria de uma questão dessas?

Resposta: a mesma de seguirem qq outra sequencia. Quando jogo escolho 1,2,3,4,5. É tão provavel como qualquer outra...

alf disse...

António

Mas a sua pergunta tem efeitos colaterais interessantes: facilmente poderá convencer muita gente de que se jogarem na sequencia de Fibonacci, ou noutra derivada de alguma qualquer relação "mágica", a probabilidade de acertarem é muito maior do que se jogarem ao acaso, ou numa chave como 12345.

Como interpreta isso?

antonio disse...

Você próprio reconhece que a sequência de Fibonacci é tão provável como outra qualquer... e no entanto ela é omnipresente no Universo, como se fosse uma assinatura.

Como aqueles pintores que deixam uma pincelada característica, que de forma subtil atesta a autenticidade da sua pintura, mais do que qualquer outro tipo de assinatura.

Como se Deus prevendo os portugueses e a sua tendência para a apostasia, decidisse deixar esta pincelada, não para se afirmar mas para nos deixar sempre livres, com o argumento pelo sim e pelo não, quase empatados.

(siga o link com o lado direito do rato e escolha “abrir numa nova janela”)

antonio disse...

Sobre a sua questão: Paganini dizia ser mais fácil fazer acreditar os seus detractores que ele tinha um terceiro braço que usava para de forma dissimulada tocar violino, do que fazê-los aceitar que tudo era fruto do seu incomparável talento.

Graças ao seu estilo de vida pouco recomendável, muitos acreditavam que o seu talento resultava de um pacto com o demónio… se fosse um respeitável cidadão temente de Deus, seria atribuído a uma graça divina.

Na realidade os homens aspiram à realização dos seus sonhos; porque se vêem prisioneiros de um destino cruel: uma curta vida terrena; mas isso não os fecha ao transcendente, se não é Deus, são os extraterrestres, Buda, Energia positiva, amuletos, sequências mágicas ou segredos detidos pelos antigos!

Do ponto de vista editorial, a sua viagem ao futuro vale um caracol, contra a eventualidade de um acontecimento futuro se encontrar revelado na Bíblia.

Mas não me respondeu à minha questão da nossa ignorância amplificar a nossa percepção da inteligência com que as pirâmides foram construídas.

alf disse...

António

Não concordo que a sequencia de Fibonacci seja omnipresente no universo. O que acontece é que as pessoas que dão uma importância particular a uma coisa a vêm em todo o lado.

Por exemplo, os católicos vêm a mão do seu Deus em todo o lado - seja na vitória do seu clube de futebol ou nos caminhos do petróleo derramado pelo Prestige.

Vemos com os olhos do cérebro, já tenho dito. É muito dificil vermos a realidade - preferimos ver aquilo em que acreditamos. E se surge alguém a querer desenganar-nos... excomunhão, fogueira, ostracismo! Porque nós tememos a Verdade!!!

A Verdade é muito mais sublime que todos os nosso enganos... mas como a tememos nunca chegamos a Ela...

alf disse...

António

Nos Evangelhos estão escritas coisas muito importantes; mas não são necessariamente místicas revelações, podem ser simplesmente "conhecimento". São o "Testemunho do Homem" o conhecimento anterior e transmitido oralmente até ser fixado na palavra escrita.

Quem seguir este blogue irá mesmo ao Futuro. Depois, as coisas nunca mais serão as mesmas, os ponteiros do relógio estarão noutra posição.

A nossa ignorância tanto amplifica como diminui; as pirâmides do Egipto representam um grande feito, não só do ponto de vista tecnológico mas social, de organização do trabalho, de logistica. Muita Inteligência foi necessária para o conseguir...

antonio disse...

Se bem me lembro, a questão da revelação foi anunciada por si:


"A seguir virá a próxima geração de humanos. Isso também está escrito... homem de pouca fé!!!"

Este lado místico prende mais do que o de visionário; e isto nada tem a ver com fé.

Antes de Dan Brown só um escasso reduzido número de pessoas conhecia a sequência de Fibonacci. Mas que da poesia, pintura, arquitectura à natureza, ela está um pouco por todo o lado, está... até no místico trevo de 4 folhas!

alf disse...

António

O meu problema é o oposto do do Dan Brown: ele precisa de criar um mistério, eu tento minmizar os aspectos transcendentes da minha experiência; porque a realidade pode estar para além daquilo que as pessoas estão preparadas para aceitar. Não posso correr esse risco porque disso depende o Futuro.

Por mais extraordinárias e "tipo Dan Brown" que algumas coisas que eu digo possam parecer, não há ponta de fantasia nelas; e para que saibam isso, direi muitas coisas nunca ouvidas mas verificáveis.

antonio disse...

Hum! Como dizia alguém, as cartas que devemos guardar são aquelas que gostaríamos de nunca ter escrito.

Mas se para si o futuro é Deus, também é uma perspectiva interessante: o Criador só se consuma após a Criação!

Já vi religiões fundarem-se por muito menos.

O que é que quer? Você resulta num homem profundamente religioso e como tal anda à procura do seu deus-das-lacunas e como você foi o único que fez a viagem ao futuro é agora o seu mensageiro.

indomável disse...

meua queridos amigos. Agosto é sempre um mês de reclusão e reflexão para mim. As leituras postas em dia yeem o condão de me revelar caminhos aos quais tinha fechado os olhos anteriormente. Este blog e os comentários a ele estão entre as minhas preferências.
Como tudo o que existe tem um fio condutor, quanto mais não seja aquele que nós próprios esticamos para seguir, este Agosto abriu-se-me à leitura de uma obra que agora vem toda ao caso, porque também nela se fala deste assunto que agora nos consome...
Chama-se "o Médico de Córdova", fala do grande Moisés Maimoinides, discípulo de Averróis e que entre outros influenciou Descartes nos seus pensamentos. Judeu e ao mesmo tempo livre pensador, Maimoinides era filho de rabi e foi contra todos os pensamentos do pai e da comunidade judaica.
No entanto, no fim tal como no principio da sua vida, nunca deixou de acreditar que Deus existia. As escrituras que era obrigado a aprender, tal como todos os jovens a partir de tenra idade, eram para ele algo a debater, não a verdade absoluta.
Querem saber o que ele dizia?
Pois bem - o criador não poderia nunca ter emitido a palavra de igual para igual, o Homem nunca seria capaz de captar a verdade tal como ela é, teria que recebê-la gradualmente, à medida que a sua inteligência fosse amadurecendo. Por isso tanto a bíblia, como o Talmude ou o Corão estão escritos por parábolas, as parábolas são como os contos para crianças, que teem sempre uma moral. O Homem aperfeiçoado será capaz de deslindar o mistério por detrás das parábolas e a verdade revelar-se-á finalmente.
Não sei se Maimoinides tinha ou não razão, mas uma coisa vos posso garantir, para mim esta coisa de irmos amadurecendo as ideias, as revelações que volta e meia nos parecem transcendentes são geralmente coisas ditar por homens extraordinários de outras épocas!
Não sei... só uma reflexão...

antonio disse...

Indy, gostei da reflexão e esse livro uma boa sugestão.

Todos os profetas são fundamentalistas da sua verdade. O nosso Alf visionário e viajante do futuro é que ainda não percebeu isso.

Maimoinides, que eu não conhecia, era seguramente um homem sábio e como todos os homens sábios tranquilo e repeitador dos tempos dos seus alunos. O mestre caminha com o passo do aluno.

antonio disse...

Lá no meu canto falo do Paraíso, quem se sentir tentado:

http://sempenas-ant.blogspot.com/

ou clic c\ o lado direito

Tarzan disse...

Acho que a diferença entre o profeta e o fundamentalista é que o primeiro, ao contrário do segundo, não almeja impôr a sua verdade aos outros. Antes aspira a que os outros se apaixonem por ela. Como a ele lhe aconteceu.

antonio disse...

Sim, embora ambos estejam igualmente seguros da sua verdade.

Pedro Jorge disse...

Sou muito fraquinho na interpretação.

Acrescento e a hipótese de tudo ser uma coincidência, uma grande coincidência, visto que se há múltiplos universos geradores de inteligência, ou o universo é um gerador de uma, pode o universo ser um entre múltiplos que é uma coincidência total com a noção que temos por coincidência de inteligência.

Dos múltiplos universos para formar inteligência, trouxe-me à memória a teoria do Hawking que na altura o ia derrubando e atirando para o espólio inferior da física, de confundir todos e dizer que há uns universos com buracos negros e outros sem buracos negros, e aí continuava o princípio da conservação de energia segundo a visão dele de as partículas perderem as suas infinitas histórias :) a ser válido.

Um site que sugiro www.toequest.com

alf disse...

Bem vindo Pedro Jorge

Se continuar por aqui verá todas as perguntas que é capaz de fazer estarão aqui respondidas; e verá que que todas as respostas são simples. A grande Magia do Universo está nisso: é magicamente simples! É o mais simples que podia ser!

Como disse o António, é a nossa ignorância que amplifica a complexidade das coisas.

Mas se é simples, também é imenso o Universo; por isso teremos de dar muitos passinhos antes de conseguirmos criar uma percepção consistente do universo

alf disse...

Indy, António e Tarzan
Boa incursão ao mundo dos profetas e dos fundamentalistas.

Não foi o Fernando Pessoa que disse "o profeta é um fingidor..."?
Acho que este poema (inteiro, não apenas a primeira estrofe) é a melhor definição de profeta.

Fa menor disse...

Estou pasma!
Não me venham dizer que o Alf é um profeta!?...
Que ao menos não o seja da desgraça...ihihihih

leprechaun disse...

1,2,3,4,5?!?!?! Hoje contigo não brinco!!! :)

Mas isso é uma cantilena infantil... não dá para ganhar cem mil! :D

Eu lembro-me de ter escrito assim uma patetice para 2 meninas lá na outra cidade onde vivia, mas fica mesmo mal pôr aqui uma tal doidice num post sobre inteligência... mesmo elementar... haja decência! :D

Ora, o post já é antigo, ninguém vem cá espreitar... paciência! ;)


Um, dois, três:
Hoje é de vez!
Quatro, cinco, seis:
Ganhámos cem mil réis!



Bem, só uma quadra e chega... vou brincar à cegarrega!

Sim! melhor do que inteligente, este mundo é um recreio...

Rui leprechaun

(...e eu de rir não fico cheio! :))

leprechaun disse...

A grande Magia do Universo está nisso: é magicamente simples! É o mais simples que podia ser!


Claro, exactamente!!!

E se Deus existe, Ele é a máxima e absoluta simplicidade, uma só substância de unidade... eis a verdade!

Isto parece-me tão intuitivo e axiomático que não o sei discutir. Ora, não se vê e sente logo que é assim?!

"Sim!" - riem-se os meninos para mim! :)

(De facto, eles adoram é dizer "não", só para contrariar, e eu sem me importar!)

Inteligência = hipóteses + selecção...

Rui leprechaun

(...em infinita interacção! :))


PS: Uáu! Até estou a aprender, querem lá ver?! :)