quarta-feira, julho 18, 2007

Mistério: a Lua Fugitiva




- Jorge, como está bela a Lua!
- Lua cheia...quase..
- Sinto-me apaixonada quando vejo a Lua assim... tenha ou não namorado!
- Compreendo-te.
- Sério? Essa tua cabecinha vê a mesma Lua que eu?

- Só há uma, não é?
- Não sei, só sei que a tua não há de ser igual à minha... vê-se no brilho do olhar.
- E na mão que a tua segura, que vês tu?
- A tua mão diz coisas diferentes dos teus olhos.. – Ana inclinou a face carinhosamente, encaixando-a no pescoço de Jorge.
- Sabias que a Lua está a afastar-se de nós?
- Sério? Hoje parece tão próxima...

Jorge afagou-lhe o cabelo. Por momentos, deixaram-se ficar unidos pelo enorme disco brilhante que parecia contemplá-los. Mas um brilho novo começava a inquietar os olhos do Jorge, o seu pensamento divertia-se já com outras coisas.
- Está tudo a afastar-se de nós, não é? O espaço expande, a Lua afasta-se..

Ana compreendeu que se queria prolongar o momento teria de entrar na conversa dele... os homens são tão pouco românticos... Lembrou-se de um documentário que vira recentemente na televisão sobre o assunto (desde que conhecera Jorge não perdia um documentário sobre ciência, uma tentativa de conseguir entrar no mundo dele):
- A Lua afasta-se por causa do efeito de Maré, não é?

- É o que se diz... mas não é verdade!

- Não é? Como é isso?
– admirou-se Ana

- Há muito que se sabe que a Lua se afasta lentamente. Sabe-se porque se sabe que a amplitude das marés tem vindo a diminuir nos últimos milhões de anos. Concluiu-se que o afastamento da Lua teria de ser produzido pelo efeito de Maré porque não há mais nenhum outro fenómeno conhecido que o possa causar.

- Por exclusão de partes, estou a ver. Mas o afastamento da Lua não tem o valor calculado pelo efeito de Maré?

- Não há valor calculado. Ninguém foi capaz, até hoje, de chegar a uma conclusão. Há um raciocínio simples que estabelece uma correspondência entre um aumento da distância à Lua e o atraso na rotação da Terra. Mas nem todos concordam com esse raciocínio. Além de que a rotação da Terra não está a atrasar-se...

- Pois, já me disseste. E então?

- Vou dar-te uma pista: a Lua afasta-se 3,8 cm por ano. E isso corresponde a uma velocidade de afastamento que parece ser exactamente o dobro da velocidade de expansão do Universo!


Ana estava agora interessada. Endireitou-se. Preferiu os belos olhos de Jorge à Lua:
- Coincidência? - questionou.

- Poderia ser. Não é uma impossibilidade. Só que, neste caso, não é mesmo coincidência.

- Então é o quê?

- Olha, se os cientistas se tivessem dado ao trabalho de entenderem o Einstein em vez de se contentarem com raciocínios matemáticos simplórios, e tivessem continuado o trabalho do Einstein, há muito que saberiam a resposta a essa questão... a essa e a uma infinidade de outras...

- Lá estás tu... mas qual é a resposta? – Ana entre o divertida e o curiosa.

Ah ah, queres mesmo saber? – Jorge riu-se – o lado romântico da Lua não é suficiente?

Ana percebeu a ironia de Jorge e respondeu:
- É o mais importante! Por isso é que eu quero saber se a Lua vai ficar mais longe porque isso vai fazê-la menos romântica!

- Boa resposta – Jorge riu-se de novo, sentia-se melhor agora que passara a ser o alvo das atenções de Ana em vez da Lua – Mas tenho de começar por falar da coisa mais simples deste mundo e que parece que não existe ninguém vivo que compreenda: o Princípio da Relatividade!

Ana segurou-lhe a cabeça e beijou-o na boca.

.

.

.




(imagem: do autor. Para verem uma fantástica colecção de luas:

15 comentários:

antonio disse...

Um beijo na boca depois de uma tirada dessas? Não acredito.

Miúdas, precisamos do vosso veredicto!

Alf, se você percebesse um pouco da relação que as mulheres estabelecem com a lua, não estranharia que esta fuja a sete pés!

indomável disse...

é... confesso que por muitas vezes me apeteceu beijar o Einstein na boca...
mas isso sou eu, só porque sou indomável!
Ai.... o que eu faria com o Einstein, eu...ele... a teoria da relatividade... ai ai... com a lua em fundo... que romântico!

Tarzan disse...

Eu consegui apanhar a crescente densidade da narrativa expressa nos pequenos detalhes e que culminam num inevitável e telúrico climax em que a personagem feminina, no fundo acaba por exprimir os seus mais secretos e profundos sentimentos que se poderiam traduzir num: "Cala-te e beija, ó meu ganda cromo! Tá aqui uma gaja quase por estrear e este só quer saber da Lua, ó caraças..."

antonio disse...

Escambou! Alf feche já o este blog de prosa cor de rosa.

alf disse...

Oh meus amigos! Então está aqui uma pessoa a falar de coisas sérias, muito sérias, e a vossa mente libidinosa...Oh meus amigos!Só a pensarem nos lábios doces da menina, no seu hálito caliente, nos seus dedinhos na nuca... Oh meus amigos!

Como já tenho dito, há muito pouca ficção neste blogue...

(Tarzan, és especialista em escrita criativa? Boa análise!
António: de facto, aquela tirada...livra!
Indomável: são as mulheres como tu as musas que fazem os génios!)

antonio disse...

Já percebi: tempo de férias. O people está numa de relaxe e pouco virado a gastar os neurónios. A Simone, qual torrãozinho de sal, dissolveu-se na água do mar, não sem antes ter feito uma cuidadosa e apurada depilação.

E perante este descalabro, o anónimo, o único inclino são deste manicómio, guarda-se de silêncio.

Anónimo disse...

antónio
lembras-te de teres sugerido a fogueira como meu destino? e agora dizes que estou são? não achas que fiquei um pouco chamuscado?...
Este blog está sempre aberto no meu PC e várias vezes por dia aqui venho à procura da controvérsia.
seu antónio reafirmo que era mesmo a Jangada de Pedra e não fiz confusão com o Ano da Morte de Ricardo Reis, o IST como cenário,a Itália em projecto e o antónio a querer mostrar-me a beleza da escrita do Saramago.
Depois afugentas igualmente as miúdas com a ameaça do fogo.
Uma boa tirada aquela de Deus a arrumar os produtos chineses na prateleira mais escondida por causa das etiquetas. Mas até ele meteu férias e não deixou endereço.

alf: são mesmo as mentes libidinosas que fazem mover o mundo. A sabedoria é redentora e excitante, a tua é mesmo provocadora, mas quando uma jeitosa está por perto até a minha barriga encolhe. Não lhe pergunto sobre o Futuro, abraço o Presente com desejos de mimos.
Aqui esperava um impropério de um Mário ou Tarzan ou uma miúda, ou uma professora,...:
EXPLICATE-TE, o Princípio da Relatividade tem 100 anos e dizes que não existe vivente que o compreenda. É forte, muito forte.
Eu sei que não estás a armar em presumido porque como já entrevi parte do Futuro (mas não estou no papel de deus, eheh), sei que, como Profeta que és, vais por a 'boca no trombone' e os poderes da Terra vão-se agitar.
Os professores, mestres, doutores, investigadores que aceitem o repto, que não fiquem envergonhados, que não caem no ridículo. Ridículo mesmo é esconderem-se, porque a vossa ausência, de tão notória, é muito notada.

alf disse...

Anónimo, sabias que neste vasto mundo, tanto quanto eu conheça, NÃO EXISTE UMA UNICA UNIVERSIDADE QUE ENSINE A RELATIVIDADE PELO TEXTO DO EINSTEIN?

Dirão: pois não, ensina-se pela versão do Minkowsky, que é muito mais clara!

Erro, grande erro. Essa versão é um disparate grosseiro, um raciocínio simplório em linguagem matemática. Por isso é que eu tenho vindo, aqui e ali, a chamar a atenção para os raciocínios simplórios.

Ora quem entende Einstein sabe isto perfeitamente, como o Einstein o sabia; quem pensa que o Minkowsky está certo de certeza que não entende a Relatividade, apenas sabe fazer umas contas que dão as fórmulas de Einstein.

Logo, como toda a gente estuda o Minkowsky e não se ri, é fácil concluir que ninguém entende o Eisntein, não é verdade?

Eu vou explicar a Relatividade de forma a que até uma criança a possa entender, e irei muito alem disso em linguagem acessivel a todos.

A teoria heliocentrica era quase transcendente no tempo de Copernico, mas hoje qualquer criança a entende; o mesmo se vai passar com estas coisas que por agora parecem transcendentes.

Mas vamos com calma, que há tanta coisa gira por aí.. e o Verão desperta-nos outros sentidos, as borboletas abrem as asas e voar apetece-nos...

antonio disse...

Alf, estou de acordo que se expliquem estas coisas de forma tão simples que até as crianças entendam. Este blog fica mais colorido com as intervenções das miúdas. Embora lhes falte alguns gritinhos histéricos de tanta emoção por estarem assim em contacto connosco…

A denúncia que o anónimo aqui trouxe, do papel do Alf como profeta, é um argumento em defesa própria: basicamente diz-nos que a fogueira é mesmo para o Alf. E depois digo em defesa própria que leio outros autores que não só Saramago, embora de momento não me lembre de mais nenhum…

E Minkowsky não seria um heterónimo de Einstein que se propunha massificar a divulgação da teoria da relatividade? Agora que ele já fez esse papel, embora induzindo também alguns preconceitos, só falta ensiná-la como deve ser. Alf, você já tem meio caminho feito.

indomável disse...

Ahhhhhhhhhhhhhh!
Isto servirá como gritinho histérico?
Nunca sei... não estou habituada... e depois, sou um bocadinho como a Marilyn... com aquele QI todo, o corpinho apetecível e aquela cara... até o Einstein relativizou a teoria!

indomável disse...

Ah! É verdade... sabiam que segundo os melhores testes de QI a Marilyn era praticamente um génio, não sabiam?

antonio disse...

Eu sou um intelectual: para mim todas as gajas boas são basicamente geniais!

Anónimo disse...

Desta posta gostei!!! Boa!!

Rodrigo

Feitixeira disse...

A lua está a afastar-se... onde é que eu vou viver?
Estou tramada...
Beijinhos desalojados***

leprechaun disse...

3,8 cm por ano?!?!?!

Homessa! Uma bactéria deve mexer-se mais do que isso, não?!

E ainda por cima tal é o dobro da velocidade de expansão do Universo?!

Bem, eu sei que sou paradinho... mas nem tantinho!

Hummm... devo estar a perceber mal alguma coisa, num universo onde só se fala de milhões de anos-luz, 2 míseros centímetros é peva que não seduz!

Bem, só se for a grossura desses lábios...

Rui leprechaun

(...que beijam os Alfs sábios! :))


PS: Enquanto a Gnomos burros... as criancinhas dão murros! Chama-se "viet vu dao papo"... faz cócegas esse sopapo! :D