sábado, junho 02, 2007

O grande Cisma do Conhecimento


"Feche-se com uns amigos na cabina principal sob o convés num qualquer grande navio, e leve consigo algumas moscas, borboletas e outros pequenos animais voadores. ... Com o navio parado, observe com cuidado como os pequenos animais voam com igual velocidade para qualquer lado da cabine. .... Observado isto... faça o navio mover-se com qualquer velocidade que deseje, desde que o movimento seja uniforme e não flutuante para este e aquele lado ... Não descobrirá a mínima alteração nos efeitos descritos, não poderá concluir de nenhum deles se o navio está a mover-se ou parado. ... E se for queimado incenso, o fumo subirá na forma de uma pequena nuvem, permanecendo imóvel e não se movendo mais para um lado do que para outro."
Desta forma procurava Galileu convencer os seus contemporâneos de que seria possível a Terra rodar sem que isso fosse notado.
Qualquer pessoa com um mínimo de bom senso podia ver que isso é um disparate. Um disparate que um astrónomo brilhante como Copérnico tinha tido a desfaçatez de propor. Como escreveu o famoso filósofo Jean Bodin num livro colocado no Índex:
"Ninguém em seu perfeito juízo, ou tendo um mínimo conhecimento de física. alguma vez pensará que a Terra, pesada e pouco manobrável, devido ao seu próprio peso e massa, oscile para acima e para baixo sobre o seu próprio centro e sobre o Sol; pois, à mais pequena vibração da Terra, veríamos cidadelas e fortalezas, cidades e montanhas deitadas abaixo" (1)
Um poema publicado em França em 1578 e imensamente popular durante os 125 anos seguintes em França e Inglaterra argumentava contra a teoria que:
"...uma vez que a breve carreira,
Que a nossa Terra redonda devia diariamente galopar,
Deve precisar de exceder cem vezes, em rapidez,
Pássaros, balas, ventos; as suas asas, a sua força, o seu impulso"
Não podemos estranhar que se estranhasse, se pensarmos que nos deslocamos a uma velocidade supersónica em relação ao centro da Terra. Num tempo em que a referência de velocidade era um cavalo a galope.
Para os Protestantes, a teoria de Copérnico era mais do que uma tontice. Copérnico fora um reputado e influente clérigo, o seu livro fora dedicado ao Papa e a sua publicação apoiada por um bispo católico e um cardeal, entre outros. Para os Protestantes, era um sinal da leviandade da atitude da Igreja Católica para com a Sagrada Escritura. Lutero, Calvino e Melanchthon destacaram-se a exigir a repressão contra os copernicanos. Ainda antes da publicação do livro de Copérnico já Lutero afirmara:
"... Este louco deseja subverter toda a ciência da astronomia; mas a Sagrada Escritura diz-nos [Josué 10:13] que Josué mandou o Sol estar parado, e não a Terra"
Melanchthon, seis anos depois da morte de Copérnico, escreveu:
"Os olhos são testemunhas de que o céu gira no espaço de 24 horas. Mas certos homens, ou pelo amor à novidade, ou para fazerem uma demonstração de génio, concluíram que a Terra se movia; e sustentam que nem as oito esferas nem o Sol se movem... Ora é uma falta de honestidade e decência afirmar tais noções publicamente e o exemplo é pernicioso."
Para os académicos da época, ela punha em perigo todo o seu saber, no qual assentava o seu estatuto. Copérnico referiu explicitamente que temia os matemáticos. E, no prefácio ao seu livro escreveu:
"Como cheguei a ousar conceber tal opinião sobre a Terra, contrária à opinião recebida dos Matemáticos e, na verdade, contrária, á opinião autorizada, é o que Vossa Santidade esperará ouvir" e, mais adiante: " Vós sois considerado o mais eminente em virtude da dignidade do Vosso Cargo e do vosso amor pelas letras e ciências. Vós, pela vossa influência e juízo, podeis prontamente suster os difamadores de me morderem, embora o provérbio diga que não há remédio contra os dentes de sicofantas"
No meio disto tudo, Roma foi o porto de abrigo das novas ideias. Galileu foi mais apoiado pelos círculos eclesiásticos de Roma do que pelos seus colegas aristotélicos da Universidade de Pádua.
Aparentemente devido à pressão que sofria quer pela frente protestante, quer pelos académicos, quer por temer os riscos de instabilidade social que as novas ideias podiam implicar, a Igreja acabou por proibir o ensino da teoria heliocêntrica e condenar Galileu, já velho e quase cego, a prisão domiciliária para o resto dos seus dias.

Hoje, a Ciência aponta este período como um episódio negro na história do conhecimento humano. Reclama-se herdeira de Galileu, putativo pai da metodologia que submete as hipóteses ao veredicto da experiência.

Terá sido com o caso de Galileu que a Igreja percebeu que não podia deixar o estudo do Universo nas mãos dos Académicos.

(1) Esta citação e as seguintes podem ser encontradas no livro de Thomas Kuhn "A Revolução Copernicana", edições 70
(1) Esta citação e as seguintes podem ser encontradas no livro de Thomas Kuhn "A Revolução Copernicana", edições 70

6 comentários:

antonio disse...

Ora aí está. Eis o porquê do interesse da Igreja no tal laboratório detido por Jesuítas.

O enquadramento histórico está feito.

Vamos ver como se safa quando ao enquadramento Bíblico.

Na Bíblia encontramos a narração da história da salvação, mas também a Palavra revelada de Deus e como diz o seu cientista, este parto cosmológico estava anunciado.

alf disse...

isto ainda é só o começo, só o começo... mas é a ponta da meada, lá isso é verdade!

leprechaun disse...

Mau! Mais uma subversão... agora a ciência é o mau e o bom a religião!

Mas não ó que consta, ó grande Rishi! Será que o Kuhn também diz lá isso no livro? Ou ainda, há alguma coisa que sustente essa versão em favor da Igreja Católica?

Por outro lado, uma consulta por "Academia Linceana" dá SÓ este blog e também o tal comentário no Sem Penas do António, que referi no post anterior. Ora isso tem de ser um facto histórico, até as teorias da conspiração têm limites!

Já agora, seria interessante confirmar se os cientistas católicos terão então contribuído para a ciência mais do que os protestantes. Ao que aqui leio, o Vaticano não é assim tão retrógrado como o querem fazer, mas passar-se-á o mesmo com as igrejas saídas da Reforma?

Hummm... se forem evangélicas, 'tá quieto! Ou melhor, elas até se interessam bastante pela ciência, mas encaixando os dados e as observações de modo a se adaptarem ao relato bíblico.

Enfim, ora vejamos que mais aqui descubro...

Rui leprechaun

(...isto é a minha revolução de Outubro! :))

alf disse...

leprechaun

Ciência ou Religião são construções dos humanos... e têm os defeityos dos humanos...

Temos a agradecer à Igreja o ter proporcionado a Galileu as condições necessárias à escrita da sua obra máxima... ao contrário dos academicos da época que tudo fizeram para o silenciarem e desmentirem.

Tem razão com o facto da Academia Linceana não aparecer no Google! Como é possível? a mais antiga academia científica do mundo, com uma rica e complexa história, que consta de todos os estudos da história das academias das ciencias, da vida de galileu, da astronomia da idade média e não só?

Será para que não se saiba??? Está a História a ser reescrita? Ele há cada mistério...

verifique pelos seus próprios olhos que ela existe:

www.lincei.it

leprechaun disse...

Ah! Fiat Lux... Australis Crux! :)

Ora assim está bem, pelo nome original Accademia dei Lincei ou Lincean Academy já se vai lá.

A Wikipedia diz isto:

Galileo was inducted to the exclusive academy on December 25, 1611, and became its intellectual center. Being a member of the academy was an honour to him, because after being accepted as its member, he signed himself Galileo Galilei Linceo. The academy published his works and supported him through his disputes with the Roman Catholic Church. Among the academy's early publications in the fields of astronomy, physics and botany were the study of sunspots and the famous Saggiatore of Galileo...

Mas também dá a entender que a ligação à Igreja Católica é bastante posterior, com a sua refundação já no séc. XVIII:

In the 18th century the abbot Scarpellini attempted to revive an academy of "New Lincei", but it underwent a true revival only in 1847, when Pope Pius IX re-founded it as the Pontificia Accademia dei Nuovi Lincei, the Pontifical Academy of New Lincei.

Por outro lado, ontem também estive a ver no YouTube alguns vídeos sobre o famoso 2012, tanto científicos como mais proféticos ou especulativos. Ora bem, até lá ainda espero chegar!

Mas voltando à questão deste post, significa isto que temos na actualidade 2 ciências, pelo menos no que à Cosmologia diz respeito, uma sagrada e outra profana, por assim dizer? Isso parece e soa estranho, ou tratar-se-á somente do Vaticano também compreender e estar na posse, parcial que seja, desse famoso "Evento", do qual aliás ainda nem estou bem informado, creio que não li esses 2 posts... olha, vou fazê-lo já!

Pois na realidade, consta que há uns astrónomos de alto gabarito que são dignatários da Igreja Católica, então é essa a explicação? E o velho pastor não quer, ou pode, revelar ao novo um tal conhecimento, aproveitando-o assim em seu próprio proveito e tirando das velhas profecias mais efeito?

A trama é lógica e coerente, resta saber se é real ou só uma ilusão da mente!

Por fim, e porque cá por mim eu tenho em boa conta as antigas tradições do Oriente, a cosmologia hindu é também muitíssimo elaborada, por certo também não lhes deve ter escapado esse ciclo da "destruição de Shiva", afinal.

Mas se deveras falamos de algo apocalíptico e catastrófico, então o assunto é delicadíssimo para ser tratado assim de ânimo leve. Afinal, mesmo que tal "segredo"... como o outro da atracção!... seja conhecido pelos "grandes" deste mundo, talvez não possa mesmo ser revelado às massas, pois aqui são mesmo poucos os escolhidos... e de 2000 não passas!!!

Yes! Melhor que o Dan Brown...

Rui leprechaun

(...my Alf-Seer is the wisest guy around! :))

Anónimo disse...

necessario verificar:)