segunda-feira, janeiro 14, 2008

Vruummm, Tchac, Tchac, Tchac


O que a Vida espera de nós?”, o Mário surpreendido, “mas não é ao contrário? Eheh”, a risada como expressão do espanto.

Ahhh, vais ver que não, e é importante que percebamos que temos uma tarefa pela frente; mas vamos com calma, para já vou dizer-vos mais uma coisa sobre a Vida que vocês não sabem.”

Não sabe quem? Eu não sei??”, a Ana e a Luísa riem-se do ar de espanto fingido do Mário.

Tu me dirás. Lembram-se de eu ter referido a divisão celular como exemplo da inteligência das células? De eu ter lido aquela descrição do livro de biologia, que refere uns centríolos que se movem, uns microtúbulos que avançam em direcção aos cromossomas, etc.”

Sim, tenho uma ideia”, a Ana a primeira a assentir, a Luísa faz agora também um sinal de Sim com a cabeça.

E lembram-se de eu ter referido que essa descrição omitia questões essenciais, até perguntei se os centríolos tinham pernas para se moverem?”

Essas das pernas lembro-me!”, a Luísa a recuperar a vivacidade.

Pois bem, vou responder-vos a essa questão! Não têm pernas, têm motores!”

“Motores?!” admiram-se as duas em coro, o Mário dá uma risadinha.

Sim, micomotores, a célula tem micromotores que movem toda a maquinaria celular de um lado para o outro, os centríolos, os microtúbulos, os ribossomas, etc.”

Quer dizer, tem um sistema de transportes públicos ehehe!” a risada do Mário é secundada pela da Luísa. “Vrummm, vrummm”, faz a Luísa imitando o barulho de um motor de explosão, desencadeando o riso do Mário.

Essa eu nunca tinha ouvido! Onde foste buscar tal coisa?

Então, Mário, parece que afinal há coisas que tu não sabes! Onde fui buscar? Ora, à Ciência, onde havia de ser?”

Não me lembro de ouvir falar de tal coisa...”, o Mário com ar desconfiado.

"Bem, talvez ainda não tenhas ouvido... sabes, como eu sou viajante do tempo, pode ser algo que a ciência ainda vai descobrir, não sei ao certo...”. Pus um ar de quem se está a tentar lembrar onde deixou os óculos. Pelo canto do olho observo o ar incrédulo de todos. Continuo:

Mas os motores são só uma das muitas máquinas electromecânicas que existem na célula.

Máquinas electromecânicas? Que raio estás para aí a dizer?

"Então, Mário, o vinho do jantar fez-te mal? O que é uma proteína senão uma máquina electromecânica?" O ar surpreendido do Mário dá lugar a uma careta de concentração, está a ver se percebe o que eu quero dizer. Esperamos.

Bem, as proteínas constroem estruturas tridimensionais, com formas complexas... uma proteína pode assumir várias estruturas, alternando entre elas quando executa a sua função biológica...”

Pois é, como acontece no ribossoma enquanto constrói uma proteína correndo ao longo do RNA, tchac, tchac, tchac.” Pensei que se iam rir mas não, ficaram com ar surpreendido. Continuo:

"Mesmo em repouso, em solução, todas as proteínas apresentam oscilações da sua estrutura, que resultam de vibrações térmicas e choques de moléculas do meio; uma proteína é uma máquina electromecânica, não é uma simples peça de Lego.”

Pois, isso eu sei, mas nunca tinha consciencializado que uma proteína, realmente, é muito mais do que uma simples peça, ela tem partes que se mexem.”

Pois é, e por isso uma proteína não é robusta como uma simples peça, é delicada como qualquer máquina! Tanto mais delicada quanto mais complexa. E qual é a grande fragilidade das proteínas?”

A... temperatura?”, arriscou o Mário; um génio este Mário.

Exacto! As proteínas têm uma janela térmica na qual mantêm a forma e estão, portanto, activas; mas fora dessa janela a sua estrutura desmancha-se e elas ficam inoperativas. Ora esta característica das proteínas permite-nos saber que os dinossáurios não poderiam existir hoje, e que o Homem não poderia existir no tempo do apogeu dos dinossáurios.”

Não poderia existir? Queres dizer que o Homem não poderia existir nessa altura porque a Evolução ainda não tinha chegado ao Homem?”

Não! Há um factor que travou a evolução, senão o Homem poderia ter aparecido mais cedo!”

Essa é boa!! O Homem poderia ter aparecido mais cedo??" não percebo se o Mário está espantado ou indignado, “E como é isso?”

Estás a dizer que o Jurassic Park é uma impossibilidade?”, a Ana parece que levou um choque, os olhos muito abertos de espanto mostrando a doçura da sua alma.

Exactamente Ana, os dinossáurios não sobreviveriam na Terra de hoje. E o tempo que o Homem demorou a aparecer não é consequência do processo evolutivo, que é muitíssimo mais rápido do que se imagina. Basta associarem a janela térmica das proteínas à curva da temperatura terrestre que eu vos apresentei para perceberem; querem ver?”
..

Imagem : Wikipedia


16 comentários:

Raiz de Carla disse...

Isso quer dizer que as proteinas de hoje não poderiam existir na altura e que as proteinas da altura não poderiam existir hoje por causa da temperatura das duas épocas... Interessante...

Alf tenho um poste novo, não sei se já passou por lá! =)

antonio disse...

E lá ficámos sem ver... mas será que o colesterol é a poluição provocada por esses motores todos?

Já não me bastava ter que respirar os ácaros que se alojam no meu colchão, como demonstrou aquele senhor do aspirador maravilha com filtro de água, como agora tenho dentro de mim umas maquinetas infernais a acelerar e a poluir!

Depois temos que deixar de fumar… mas gostaria de saber o que tudo isto tem a ver com as mudanças de velocidade na evolução!

Diogo disse...

Alf: «Bem, as proteínas constroem estruturas tridimensionais, com formas complexas... uma proteína pode assumir várias estruturas, alternando entre elas quando executa a sua função biológica...»

O que é uma função biológica? Porque é que a proteína a tem?

alf disse...

raiz de carla

será?... por exemplo, os répteis já existiam e continuam a existir... porque é que o répteis podem existir hoje e os dinossaurios não podem??

interessante o seu post!

alf disse...

António

O colesterol ehehe.. o colesterol é o lubrificante dos vasos sanguineos, se não fosse ele, o atrito do sangue desgastava as paredes das artérias... quando o colesterol é baixo, há esse risco, as paredes das artérias abrem fisssuras, depois o óleo (o colesterol) "tropeça" nas fissuras, acumula-se, faz coágulos, que podem soltar-se e entupir um vaso mais estreito... um perigo o colesterol baixo!

Mas o colesterol tem ainda outras funções porque o nosso organismo é uma máquina impressionante a economizar.

as nossas "maquinetas" funcionam um bocado como os motores que fabricamos eheh - fazemos motores a etanol, que se obtem do açucar, não é? Só que em vez de fazermos combustões explosivas usamos processos mais eficientes e adequados.

Mas António, não sabia já que é uma "máquina infernal"?

alf disse...

Diogo

Função biológica.. humm... sem ela não há vida! serve? Ou então... qualquer mudança de estado definida que ocorra no interior duma célula.

Porque é que a proteína a tem? Interessante pergunta!

As proteinas que existem executam funções biológicas, como abrir os dois ramos de um DNA, por exemplo, mas a questão que se pode pôr é: e porque é que não existem proteínas que não executam função nenhuma?

Na célula é um pouco como na sociedade humana - tudo o que não dá lucro, ou é de alguma forma útil aos humanos, tende a desaparecer - quando as senhoras deixarem de usar peles de marta, as martas extinguir-se-ão possivelmente. Se não fossem as touradas, não havia touros criados em liberdade, apenas uma pequenina quantidade de machos fabricantes de esperma usado para engravidar vacas às centenas por inseminação artificial...

é por isso que o facto de a quase totalidade do código genético não ter qualquer função conhecida não pode ser a priori interpetado como tratando-se de "lixo"... se basta uma pequenina parte desse código para nos construir, o que andará a fazer todo o resto?

Diogo disse...

Alf: «Função biológica.. humm... sem ela não há vida! serve?»

Serve. O que é vida?

Raiz de Carla disse...

Talvez o tipo de proteinas dos repteis da altura ou as fuções que elas tinham não se adaptassem hoje à nossa temperatura...

Obrigada!

alf disse...

Diogo

Ehehe... talvez seja melhor dizer "vida celular"

O que é Vida? já disse qq coisa sobre isso... Meu caro, não há definição de Vida! e sabe porquê? Porque não há fronteira entre Vida e Não-Vida! e sabe porquê?

Porque Vida é um estado de complexização de organizações sustentadas de átomos, chamamos não-vida a um grau de complexização muito baixo, chamamos vida a um grau alto, mas há uma continuidade que não permite dizer que aqui começa a vida.

Em termos de conceito, a coisa então fica muito complicada. Um virus biológico é Vida? e um virus informático?

Mas há mais coisas dificeis de definir; por exemplo, o que é uma recta?

alf disse...

raiz de carla

e as nossas proteinas estão adaptadas à nossa temperatura ambiente?

Raiz de Carla disse...

À temperatura corporal sim, pelo menos exercem as suas funções no nosso corpo.
O que eu não sei é se elas "vivem" (exercem algum tipo de funções) fora dele ou de alguma célula...

Diogo disse...

Alf: «Porque Vida é um estado de complexização de organizações sustentadas de átomos»

Qualquer calhau constitui uma «complexização de organizações sustentadas de átomos». Qualquer cristal de neve constitui uma «complexização de organizações sustentadas de átomos».

O que é vida?

Manuel Rocha disse...

Pertinente abordagem...como de costume...


Diogo...o meu avô diria que a vida é o contrário da morte..:))

alf disse...

Diogo

Não percebeu bem o que eu disse; eu não disse que qualquer organização de átomos é vida; eu disse que os átomos constituem sistemas sucessivamente mais complexos, que sistemas muito complexos identificamos facilmente como "vida", que sistemas muito pouco complexos identificamos como " não vida", mas não temos uma fronteira porque existe uma variação continua do grau de complexidade.

Mas afinal, o que é um recta? Isto para lhe mostrar a dificuldade que podemos ter para definir o que julgamos sabemos identificar sem duvidas, qt mais o que nem sequer sabemos identificar claramente...

alf disse...

manuel

eheh... a Lili Caneças também... as pessoas riram-se muito... mas parece que ainda ninguém arranjou uma melhor!

Diogo disse...

O que é sistema muito complexo de átomos?