domingo, outubro 21, 2007

Consciência Global


Digo-te já que me deu cá um trabalhão deslindar a paranóia do Aquecimento Global...

Aliiita! Eu tenho um trabalho a fazer! Vai aos finalmentes!

Livra, não andas nada bem! Saudades de casa?

Alita, não era uma crítica, eu estou é ansioso para saber o que descobriste. Até porque eu também estou a obter uns resultados interessantes.

Ahh, então podemos fazer uma competição: quem terá obtido resultados mais interessantes?

Boa! Mostra-me lá as tuas descobertas que eu depois mostro-te as minhas.

Então lá vai. Como sabes, eles não sabem que os planetas se afastam do Sol.

Sim, ainda ignoram o fenómeno do Desvanecimento.

Exacto. Ora acontece que os cientistas que estudam os vestígios do passado da Terra chegam sistematicamente à conclusão que a temperatura terrestre é sempre crescente em direcção ao passado.

Claro, pois se a Terra estava mais próxima do Sol...

Claro para nós, mas misterioso para eles. Eles pensam que a distância ao Sol é constante e que a energia radiada pelo Sol era menor no passado, logo a Terra deveria ser mais fria no passado, nunca mais quente!

Estou a ver. E então?

Então, andaram à procura de uma causa e repararam numa coisa: os níveis de Dióxido de Carbono são crescentes em direcção ao passado!

Claro! Qual é a admiração?

Eles não se admiraram, sabem que o dióxido de carbono vai desaparecendo em carvão, carbonatos, etc. Mas acharam que tinham encontrado uma explicação: efeito de estufa causado pelo Dióxido de Carbono!

Como é isso?

Fizeram modelos climáticos. Tinham uma dificuldade: não sabiam contabilizar o efeito das nuvens. Mas verificaram que se presumissem que o efeito delas era nulo, a introdução do dióxido de carbono no modelo originava um aumento de temperatura próximo do observado nos últimos milhões de anos!

Só por acaso! O clima é completamente determinado pelas nuvens e pela irradiação solar.

Isso sabemos nós, mas eles não sabem. Agora, mete-te na cabeça deles: como explicar a espantosa contradição entre temperatura e irradiação solar para quem não sabe que a Terra se afasta do Sol?

Estou a ver, a correlação entre o dióxido de carbono e a temperatura era demasiadamente tentadora...

Exacto.

Mas ouve lá, isso não faz sentido, eles fazem ideia de quão quente foi o passado terrestre?

Os registos mais ou menos fidedignos de que dispõem não se estendem muito para além dos 60 milhões de anos, por isso não têm uma perspectiva muito sólida da história térmica da Terra. Calculam que a temperatura global tenha descido uns 7 ºC nos últimos 100 milhões de anos.

E não têm mais dados?

Têm vários indícios, mas a sua interpretação pode ser diversa. Embora alguns sejam bastante claros, nomeadamente a data de aparecimento da água à superfície ou que as bactérias primitivas, as arqueobactérias, eram termófilas. Já descobriram várias que vivem a temperaturas elevadas e a uma pressão de várias atmosferas, como a Pyrolobus fumarii , que vive a 113ºC; eles têm evidências de que essas eram as condições na Terra quando a Terra já tinha mais de metade da idade que tem hoje!

E querem explicar isso com o dióxido de carbono?

A alternativa seria fazer investigação fundamental, questionar as bases do seu conhecimento, mas isso está fora de questão para eles.

Mas ouve lá, isso continua a não fazer sentido: num modelo sem nuvens, a temperatura subirá quase tanto no equador como nos pólos, o que não acontece. Como é que ultrapassaram isso?

Meu querido, eles funcionam assim: a melhor das hipóteses que conseguem produzir é adoptada como “verdadeira”, enquanto não aparecer uma melhor. Evidências de que não pode ser o dióxido de carbono têm muitas, agora até têm uma muito forte, pois já sabem que Marte também teve um passado quente do qual o dióxido de carbono não poderá ter sido a causa; o que não têm é uma hipótese melhor!

Ser contra as observações não a elimina?

Não, a Ciência tem de ter sempre uma explicação; assim elegem a menos má como a verdadeira... do momento. O problema não está neste procedimento, está em não fazerem investigação fundamental.

Claro. As bases do conhecimento têm de ser continuamente questionadas e investigadas. Vejo que ainda não perceberam bem isso...

Eu tenho uma teoria sobre isso, mas fica para outra altura. Nota, no entanto, que a Ciência se limitou a investigar a hipótese de o dióxido de carbono ser a causa do aquecimento do passado. Esta paranóia do Aquecimento Global não foi provocada pela Ciência.

Não foi?

Não, isto é Política. Imagino que tenha a ver com a necessidade de desenvolver energias alternativas ao petróleo. Alguém se terá lembrado de que a associação que os cientistas andavam a testar entre aquecimento e dióxido de carbono servia às mil maravilhas: bastava apresentar o dióxido de carbono como responsável por uma catástrofe ecológica!

Mas qual catástrofe? Um aumento da temperatura média seria óptimo, significa temperaturas mínimas mais altas e máximas mais suaves, um clima mais uniforme. O arrefecimento é que é catastrófico!

Claro! Mas isso não interessa, é só um pretexto, a subida da temperatura média é insignificante, nem 0,5ºC nos últimos 50 anos. Claro que isso não dizem, falam apenas de projecções fantásticas de não sei quantos graus no futuro. São tretas atrás de tretas, furacões, subidas mágicas do nível das águas, até com secas eles ameaçam, vê lá tu!

Quanto maior a temperatura média, maior a pluviosidade...

Claro. Toda a campanha do Aquecimento Global é feita para actuar no Inconsciente dos humanos

Estou a ver. É como a campanha do tabaco. O tabaco causa doenças horríveis mas não imagino qual possa ser a ligação do tabaco ao cancro; mas o que interessou é que o uso desse argumento é altamente efectivo. Cancro, impotência, fumadores passivos, usaram tudo o que se lembraram.

É isso. Aqui fizeram o mesmo e também funcionou.

Está bem, mas o que é que isto tem a ver com o Evento Solar?

Dentro de uma ou duas décadas perceber-se-á que, afinal, o tabaco nada tem a ver com o cancro; com o aquecimento global irá passar-se o mesmo. Conheces a lenda deles do menino e do lobo?

Sim, estou a perceber-te. Para fazer face ao Evento Solar é necessário mobilizar toda as capacidades, só que, nessa altura, Governos e Ciência terão perdido a credibilidade.

Exacto, é esse o meu receio.

Mas se me permites, também vejo um lado muito positivo nisso tudo.

Qual?

Segundo me explicaste, para gerir a sociedade humana não se pode ser racional. A Razão, neles, serve para construir a argumentação que vai suportar o que já foi decidido pelo seu Inconsciente, que é a verdadeira fonte das ideias e decisões. Não se convence os humanos a deixarem de fumar com a Razão, não é? O diálogo poder-povo não é com a Razão, é com o Inconsciente.

Sim, é certo. É preciso falar para os instintos, os medos, os desejos, fazer associações simplórias com as ideias aprendidas e as experiencias de vida. Como fazem as Igrejas.

Então repara: esta cena do aquecimento global deu uma contribuição importante para o desenvolvimento duma consciência global. Parece concebida para provocar esta resposta nos humanos. É um atentado à Razão, mas eficaz a nível do Inconsciente. E conseguir esta Consciência Global é o primeiro passo para que eles sejam capazes de enfrentar o Evento Solar e os outros desafios do futuro. Um primeiro passo essencial, crítico.

Sim, tens razão!!!

Ah, os teus olhos já têm aquele brilho positivo de que tanto gosto!

Cala-te! Tens muito que fazer, já te esqueceste? Mas não te entusiasmes porque há um pequeno detalhe que pode ter consequências dramáticas a curto prazo.

Mau, de que é que estás a falar?

Sabes qual é o limite mínimo do nível de dióxido de carbono para suporte da vida, não sabes?

31 comentários:

alf disse...

Estou mais uma vez a abusar da vossa paciência, parece-me.

Este post poderia ser dividido em dois.

No primeiro, apresento a origem da associação entre o dióxido de carbono e o aumento de temperatura.

Ficamos a entender o drama que representa para os cientistas o facto de a temperatura da Terra crescer em direcção ao passado. Isto é completamente inexplicavel pelo modelo actual do Universo.

A associação ao dióxido de carbono é uma tentativa desesperada de explicar o inexplicável; como o é a teoria da "Snow Ball Earth", que defende a Terra esteve congelada quase todo o seu passado.

A alternativa é concluir que o nosso modelo de Universo está errado. Tão errado como o de Ptolomeu. E essa é a verdade.

A segunda parte do post mostra que a campanha do aquecimento global, embora envolvendo a ciência, é política. E que, embora sendo uma fraude, como o é a campanha anti-tabaco nos argumentos que usa, tem um lado positivo; e que é preciso conservar esse lado positivo quando a fraude se desmoronar.

Tarzan disse...

O tabaco não causa o cancro? Já viu e ouviu os pulmões de um fumador? E se fosse só o cancro?

Anónimo disse...

Ola pai,

Acho que o teu livro vai ficar espetacular!
Agora acho que devias cortar esta parte do tabaco. A verdade é que o tabaco causa cancro do pulmao (nao sei se o tabaco ou outros componentes do cigarro), mas causa. Ja o fumo passivo parece ser treta. Mas há tantos outros exemplo, alguns deles já desmascarados, nomeadamente na alimentacao, que se calhar ganharias mais em usar isso como fonte de credibilidade e mostrar que há um precedente para estas coisas, do que dar um tiro no pé. Fala em como vos obrigavam a comer oleo de ricino em criancas...

Rodrigo

alf disse...

Tarzan

O tabaco faz muito mal aos pulmões, sem dúvida. A sílica também faz, causa a silicose aos mineiros. Morre-se disso. Mas isso não é cancro!

Daqui a uns 10 anos verão que as taxas de cancro de pulmão não sofreram qualquer alteração apesar da alteração dos hábitos de fumo.

A realidade é que não sabendo as pessoas o que que causa o cancro, o nosso cérebro põe logo em acção a sua rotina de "procura o culpado" e único potencial culpado à vista é o tabaco, logo é muito fácil associar as duas coisas.

Fácil mas não científico. A associação tabaco-cancro foi estabelecida para servir a campanha anti-tabaco.

Com o recurso a estudos científicos, claro, há muitos cientistas que funcionam como qualquer jurista, fazem o estudo que lhe encomendam. E o Estado é que define a generalidade dos estudos que os cientistas fazem, aprovando ou rejeitando os pedidos de bolsas.

A Ciência não é autónoma, como as Igrejas o conseguiram ser. A Ciência depende dos dinheiros que os governos lhes dão. A Ciência trabalha para os Governos. Não sei mesmo se existe alguma área de actividade humana onde a actividade esteja tão condicionada pelo Governo.

alf disse...

Rodrigo, tu dizes que o tabaco causa o cancro do pulmão porque acreditas que os estudos científicos que suportam esssa afirmação são certos.

Primeiro, a campanha anti-tabaco não diz que o tabaco pode causar um ligeiro acréscimo do cancro do pulmão, diz que todos, ou quase, casos de cancro de pulmão são causados pelo tabaco. Atribuem na integra ao tabaco os custos de todos os cancros do pulmão.

Achas que isto é uma verdade cientifica?

Segundo, desconfio que os estudos que associam o tabaco ao cancro sejam estudos "convenientes".

Uma prova: como agora andam a querer promover a vacina contra o HPV, usaram a mesma técnica de propaganda - até lhe chamam a vacina contra o cancro do colo do útero!

Só que agora a propaganda é feita por laboratórios, na linha da propaganda aos medicamentos para o colesterol.

Os laboratórios não estão comprometidos com a propaganda anti-tabaco. Então começam a acontecer coisas interessantes. Por exemplo:

o virus a que esssa vacina dá imunidade é frequente na boca / garganta; ora se o virus causa o cancro, seria de esperar que os cancros oro-farígingeos estivessem associados a esse virus. Os cientistas foram estudar o assunto e concluiram que era verdade! De facto os cancros orofaríngeos apareciam associados ao virus!

Só havia um pequeno problema: esse mesmo estudo provava não existir qualquer relação entre o cancro orofaríngeo e o tabaco! Contrariando inúmeros outros estudos!

Percebe-se: a influencia do tabaco foi um efeito colateral do estudo... além disso, como se poderia vender a vacina para o cancro orofaringeo se o responsavel é o tabaco?

Nota que o que está em jogo aqui não é pouca coisa: o cancro do colo do útero só afecta as mulheres, mas o orofaríngeo é toda a população!!!

Com jeitinho, a vacina ainda fica abranjida pelo sistema nacional de saude para toda a população! E só daqui a uns 40 anos, quando se verificasse que as taxas de cancro eram as mesmas, se iria desconfiar de um "engano"...

Claro que tens razão, dizer estas coisas não é nada conveniente... têm morto gente por muito menos... no livro será melhor não falar disto!

antonio disse...

Correcção do editor, sem direito a recurso.

Onde se lê:É preciso falar para os instintos, os medos, os desejos, fazer associações simplórias com as ideias aprendidas e as experiencias de vida. Como fazem as Igrejas.

Deve-se escrever: É preciso falar para os instintos, os medos, os desejos, fazer associações simplórias com as ideias aprendidas e as experiencias de vida. Como fazem as seitas.

Afinal a Igreja protegeu Platão.

antonio disse...

Quanto à intervenção do Rodrigo, estou de acordo. Você não precisa de travar todas as guerras ao mesmo tempo. Como pré-editor também recomendo a eliminação das referências a este tema. Óleo de rícino, parece-me uma boa aposta, a maior parte dos leitores não saberá o que isso seja, mas pelo nome... deve saber mal!

Indy, multi-neural, aguardamos a tua opnião (temos que justificar a nossa percentagem nas receitas do livro...)

antonio disse...

Oh, Alf, você não viu a Idade do Gelo? Todos sabemo que no passado a terra era gelada.

Cuidado, você pode-se meter com a comunidae científica, mas com hollywood eu não recomendo.

antonio disse...

Bolas, não é Platão, mas Galileu.

alf disse...

António, pois é, a Igreja protegeu Galileu... e isso é um mistério: porque o teria feito? e porque é que tem um observatório astronómico de excelência? e porque é que colecciona meteoritos?

(que coisa estranha, não é? coleccionar meteoritos?!? isso lembra a alguém??)

antonio disse...

Assim gosto! Produz mais impacto do que os ataques torpes. Na realidade a sua mensagem continua a mesma, só ganha com esta atitude.

Nada de ataques à igreja, que por definição é Santa! Se é para desncar alguém tem que ser uma seita (que até pode estar instalada no Vaticano).

A propósito a sinopse na contracapa do novo livro do JRS é um decalque da sinopse do livro de Dan Brown, A Conspiração. Ainda estou em estado de choque!

alf disse...

Um esclarecimento:do que disse pode pensar-se que eu penso que a Ciência anda a vigarizar as pessoas. Nada disso!

Temos é um sistema que selecciona as "verdades convenientes". Por exemplo, ninguém conhece os estudos que mostram não existir relação significativa entre colesterol e ataques cardíacos, pois não? Claro que não, essa verdade não é conveniente.

As "verdades convenientes" de tanto repetidas, tornam-se inquestionáveis - isto é uma caracteristica misteriosa de muitíssimos seres humanos.

Talvez seja uma caracteristica seleccionada ao longo dos tempos por representar uma vantagem para os seus possuidores. Tal como os cães têm caracteristicas assim seleccionadas, tal como muitos humanos mantém activa toda a vida a proteína que digere o leite.

Estas "verdades inquestionáveis" impregnam as pessoas e passam a dominar o funcionamento das instituições nos seus mais pequenos detalhes.

Um artigo científico que as questione será rejeitado por todas as revistas científicas. Quem quiser publicar já sabe que tem que fazer um estudo de acordo com elas. Desta forma passa a existir publicado apenas os estudos de acordo com essas "verdades" convenientes

Um professor universitário que estimule nos seus alunos o espírito crítico em relação às teorias que ensina em breve verá estes a queixarem-se dele e poderá ser impedido de dar aulas, não é?

E podia dizer muito mais coisas que tenho visto ao longo dos anos, mas por aqui me fico. Mas notem, não é um problema da ciência, ou da religião, é do ser humano.

O ser humano pode ser "convencido" das coisas mais extraordinárias, uma vez que elas penetrem no seu inconsciente ficam desalojáveis.
A crença de que o tabaco provoca o cancro é igual à crença dos alemães na sua superioridade rácica ou dos japoneses na condição sub-humana dos chineses. Igual à crença de um religioso. Não interessa aquilo em que se crê, o processo mental é sempre o mesmo.

Joaquim Simões disse...

Alf:
Ambos os posts mais recentes estão óptimos e, fora a soma de alguns dados de carácter científico de que eu não tinha ainda informação, o que diz vai de encontro àquilo que, sob outra perspectiva, tenho vindo a concluir e para o qual chamo a atenção dos que me ouvem.
Continua, a meu ver, de parabéns pelo excelente trabalho feito até agora.
A propósito do Henri Poincaré, vai haver, como lhe disse, esta semana um ciclo de conferências sobre ele na Faculdade de Letras da U. Lisboa, salvo erro na 4ª, 5ª e 6ª feiras. É capaz de lhe interessar.

indomável disse...

Eu já cá tinha vindo mais cedo, não fosse a formidável tecnologia de ponta do meu computador ter ido de férias para parte incerta!!!
Alf, eu cá estou como o Joaquim. A minha fé em ti é daquelas desconfiadas. Acredito em ti mas ainda assim tenho de ir saber outras opiniões e... é formidável como só vemos aquilo que queremos.
Não me atreveria a escrever isto no que treta! mas tenho uma amiga que me diz sempre o seguinte - aprendemos sempre aquilo que estamos preparados para aprender, nunca antes... Os nossos olhos abrem-se quando queremos que se abram.
Assim sendo, muitas destas verdades convenientes são questionadas em muitos pontos da rede virtual (thank god for high tech!) e várias pessoas com aparente formação científica (saliento o aparente, porque não tenho conhecimento suficiente para o afirmar)questionam as verdades absolutas que se vendem por aí.
Eu cá quando tenho dúvidas não compro. Não acredito em verdades absolutas, mas gosto de sentir que existe algum equilíbrio em tudo o que se passa à nossa volta.
Gostei dos teus posts (de todos aliás) e também concordo que as lutas são para ser travadas, uma de cada vez. Primeiro esta questão climática, depois já passas à parte da saúde. Ah! é verdade, estou com o António, quero a minha parte nos lucros.

alf disse...

Joaquim Simões

Eu já percebi em comentários seus lançados na blogosfera que o meu amigo sabe, tem provas, de coisas relativas ao ser humano de que eu só suspeito. A Filosofia é o seu domínio de excelência e corrija-me sempre que discordar de mim - eu ando de olhos postos na bruma da minha ignorância, o que já sei já não me interessa, já me esqueci até.

alf disse...

Indomável

Embora parecendo que eu trato de diversos assuntos, na realidade tudo tem a ver com uma única coisa. é quase como um policial - a princípio uma multiplicidade de acontecimentos que parece nada terem a ver uns com os outros... no fim se verá que todos são necessários.

Neste post não estou a tratar nem do aquecimento global nem da saúde; estou a tratar dum facto que significa que o nosso modelo de Universo está ferido de morte porque acontece uma coisa que é impossível pelas leis físicas que todos os alunos do liceu sabem: os planetas afastam-se do Sol!

Este facto "impossível" é a causa das teorias desesperadas como a da "Snow Ball Earth", que representa a negação dos factos, ou a do efeito de estufa do dióxido de carbono.

Por outro lado, já mostrei como a sociedade humana é facilmente conduzida pelo Poder (político, económico, religioso)para os objectivos pretendidos.

Esses objectivos tanto foram guerras (mundiais ou não) como saúde(tabaco)como "consciencia global" (aquecimento global).

Mas todo o Poder tem de manter a sociedade sobre a qual exerce o poder num estado de condução, tem de ter sempre um objectivo para lhe colocar na frente.

E aqui é que surge o problema: num mundo global, tecnológicamente evoluído, a humanidade assim movida começa a ser capaz de fazer coisas importantes.

Se os objectivos forem errados, o resultado pode ser catastrófico; mais, como veremos, não bastaria não ter objectivos, é necessário que a humanidade tenha os objectivos certos.

Mas quais são eles? Para saber a resposta a esta questão, a Humanidade precisa de um conhecimento do Universo que ainda não tem - ainda nem sabe que os planetas se afastam do Sol!!!

A propósito, qual é a resposta à pergunta com que este post termina?

PS - Tomei boa nota das reinvindicações!

alf disse...

António

Eu não ataco nada nem ninguém. Tento apenas compreender. E não tenho nem partido, nem religião nem clube de futebol ... na realidade eu sou o Tulito...

Li o livro do JRS que me recomendou. Um notável documento sobre o pensamento actual. Mas estranhei a ausência de uma referência mais destacada à grande fonte de conhecimento de que se serviu, que imagino tenha sido o Carlos Fiolhais. Como notei que a ideia central do livro já eu a conhecia de um conto que, tenho ideia, seria do Asimov.

Não tiro mérito ao livro, é o mais notável documento do pensamento contemporâneo dum certo sector que eu conheço; foi mesmo dos poucos livros que li integralmente; mas tive a sensação desconfortável de estar a ler um trabalho como o daqueles consultores que nos pedem o relógio para irem dizer as horas à administração da empresa para onde trabalhamos...

alf disse...

Joaquim Simões, obrigado pela indicação; tenho um compromisso logo no dia que me interessava (quinta) mas fiquei a saber do interessante programa de conferências da Faculdade de Letras e já pus a página nos meus Favoritos - e conto ir lá sexta a uma conferência que me interessa.

antonio disse...

Puxa! O homem convida-o para uma conferência e você sai-se com essa de estar na bruma da sua ignorância e chama-o de filósofo?

Olha, eu convido-o para uma jantarada!

antonio disse...

Alf, recomendei-lhe outro livro, mas você...

Essa do consultor é boa.

alf disse...

António
Eu também respondi a essa parte noutro comentário ehehe. Mas o amigo Simões sabe mesmo umas coisas muito interessantes, fascinantes.

A jantarada é uma grande ideia! Temos de organizar uma jantarada entre todos os ilustres comentadores deste blogue!

Quanto ao livro, já segui 50% dos seus conselhos... você é exigente!

O JRS, em minha opinião faz excelentes documentários em forma de livro - mas não cria, ele apenas organiza a informação e coloca numa forma atraente para o leitor

Anónimo disse...

Alf

Não encontro diversidade de fontes em relação ao valor mínimo. Em http://www.climateaudit.org/?p=1237 é referido que se inferior a 90 ppmv a fotossíntese pára e a vida toda torna-se impossível.

esse site referencia um documento a pagar http://www.nature.com/nature/journal/v193/n4815/abs/193587a0.html em que são citadas outras fontes já antigas.

(ppmv - A concentração partes por milhão em volume indica o volume de soluto (disperso), em mL, existentes em 1 m3 (1 milhão de mL) de solução.

A notação ppm talvez seja de evitar (recomendação da IEC) por causa da confusão dos biliões http://en.wikipedia.org/wiki/Parts_per_million já mencionada neste blog

Será que a evolução dos métodos de captação da luz pelas plantas e cianobactérias bem como as frequências para que estão sintonizadas diz algo sobre as condições de iluminação e CO2 do passado?

Clorofilas absorvem melhor no vermelho e violeta e pouco no verde. A capacidade de captação em cada uma das faixas energéticas talvez tenha sido adquirida em momentos diferentes.

Os carotenoides absorvem melhor no azul e são mais recentes.

A própria evolução do tamanho das folhas em geral deve estar relacionado também com a história do CO2, iluminação, temperatura.



Indy

sou um curioso como tu, há mais tempo talvez. O meu mestre é o alf e não nos arrependeremos de seguir o seu pensamento. Vais sentir-te privilegiada, como eu me tenho sentido desde 1991, porque ficas a conhecer segredos profundos que estiveram ocultos até agora. De qualquer modo não sou merecedor dos teus elogios.

Em relação ao TLEBS fui espreitar à net e fiquei pasmado como se consegue complicar. As crianças se ficam obrigadas a saber aquele detalhe todo, ganham ódio em relação à língua portuguesa e fica aniquilada a pouca vontade de ler que já possuem. Não é que esteja errada a TLEBS mas… o gosto de ler e a desenvoltura na falar só se desenvolve lendo coisas de que se goste. Muita gramática só depois.



António

As igrejas estão para Deus assim como as teorias científicas estão para o Universo. As teorias são atacáveis, as ideias propaladas pelas igrejas também, e a noção de Deus idem.

A Igreja Católica não deve ser privilegiada, nem desfavorecida, face a qualquer outra religião (ou seita) porque religião não é o tema do blog.

Se afirmo que Deus não existe, ou que não tem as características que as religiões querem evidenciar, não espero que alguém fique ofendido, do mesmo modo que eu não fico ofendido quando me querem falar de Deus. É um tema favorito, mas encontrar interlocutores é mais difícil. Muitas pessoas mudam de religião, mas um ateu não muda, e assim desistem depressa de se verem confrontados no seu próprio terreno. O Saramago, que creio ateu há mais tempo do que eu, na História do Cerco de Lisboa tem uma tirada engraçada: Reza a lenda que na Batalha de Ourique Jesus apareceu ao nosso Afonso Henriques e todo o nosso exército exultou e seguiu-se uma boa matança de infiéis…, pois melhor seria que tivesse aparecido aos sarracenos e os tivesse convertido. Desse modo poderíamos falar hoje da milagrosa conversão de 150 mil infiéis, e tinha-se evitado tamanha barbárie.

Marquemos a jantarada e brindo a uma boa discussão.

Anónimo

antonio disse...

Anónimo

Mantém as mãos nos bolsos!

Vamos lá a ver... é claro que a "igreja" é a Católica e ponto final, mas julgo que não percebeste a minha observação. Não teve nada a ver com religião mas com critérios editoriais. Atacar a igreja Católica, Protestante ou o Islão, só serve para desviar a atenção do essencial e pior ainda afasta leitores e receitas!

Joaquim Simões disse...

Ora isso é que é falar! Uma boa discussão à volta de uma mesa é o ideal para tratar destes assuntos!
Vamos lá a combinar isso.

Joaquim Simões disse...

É que ando mesmo sem tempo nenhum para escrever posts...

Raiz de Carla disse...

Em relação à TLEBS...
Eu sou uma estudante de secundario e estudo TLEBS, devo dizer que é um pouco confuso, até porque ninguém se entende o que era à uma semana já não e agora porque tiveram a rever e alteraram uma coisa ou outra.
Ninguèm se entende...

Gostei muito so seu post, e na minha opinião faz sentido que os planetas se estejam a afastar do sol pois se o universo está em expansão porque não dentro das próprias galáxias os corpos se estarem a afastar uns dos outros... Isso também pode significar que as galáxias estão a ficar maiores, não é?

alf disse...

Anónimo

Belo trabalho de casa!

Proveito para transcrever duas respostas do link que indicas:

de David Archibald
The C3 plants become much less efficient below 200 ppm CO2. Stasis at 90 ppm is one thing, but to be able to grow and set seed needs a much higher level. Yes, the Earth became dangerously close to a low-CO2 induced die off of a lot of plant groups.

De Don Healy:
"The posts above lead to the question of the atmospheric concentration of CO2 when plant species first appeared on earth, and how has the concentration flucuated since then. It appears that gymnosperms first appeared about 245 million years ago, followed by the evolution of angiosperms perhaps 160 mya, although there is considerable controversy over the precise dating. If we use the broad range of 245 mya to the present it appears that CO2 concentrations were originally about 1800 ppm, reaching a high about 170 mya of 2250 ppm, then gradually declining to a level of approximately 270 ppm a century ago, before mans’ burning of fossil fuels increased the level to 384 ppm or so. Studies of numerous plant species seem to indicated that at levels of 550 ppm of CO2 growth rates of 25 to 40% above current levels can be achieved. At CO2 concentration below 150 to 200 ppm, various plant functions begin to shut down in many species, and by 90 ppm photosynthesis is severely limited."

alf disse...

raiz de carla

Em relação à TLEBS: quem faz investigação numa qq área do conhecimento tem de usar uma linguagem muito específica, com termos que não podem ter dois significados e cujo único significado é extremamente preciso. Essa linguagem é essencial para quem faz esse trabalho, mas é despropositada para o vulgar utilizador. O erro crasso da TLEBS está aqui, saber utilizar bem a língua não tem nada a ver com o trabalho de investigação sobre essa lingua - é como se se ensinasse Física a alunos do liceu utilizando análise tensorial...

Parece lógico não é? se o espaço expande, porque não expandem as órbitas? Mas leve a lógica um pouco mais longe: os átomos, como sabe, parecem maciços aos nosso olhos mas não são; se o espaço expande, então também aumentam as órbitas electrónicas, ou seja, aumenta o raio atómico, não será?

Mas agora pense: se os átomos aumentam, nós e a nossa escala de medida também aumenta. Mas se assim é, então, em relação a nós o espaço já não expande porque aumenta tudo na mesma escala, não é?

Está a ver? uma verdadeira expansão do espaço é apenas uma variação de escala, indetectável para nós!

Para podermos dizer que observamos uma "expansão do espaço" temos de dizer que o espaço só expande lá longe ... no céu!

Além disso, as nossas leis mecânicas são incompatíveis com a expansão do espaço - não sabemos calcular um movimento orbital num espaço em expansão.

O fenómeno por detrás de tudo isto não é uma expansão do espaço; as órbitas planetárias aumentam a uma taxa que é dupla da taxa de expansão da teoria do Big Bang.

Quanto às galáxias, para perceber o que acontece com elas, temos de perceber a distribuição do campo gravítico no Universo. Não é dificil mas será coisa para uns posts daqui a uns meses.

alf disse...

Amigo Simões, sei que outros valores mais altos se levantam agora para si; claro que os seus comentários seriam importantes, mas ainda temos um longo, embora entusiasmante, caminho pela frente. Há tempo para ir e voltar... Um abraço.

alf disse...

Aqui fica um link interessante


http://public.ornl.gov/face/results.shtml

onde podem ver resultados de experiências sobre o comportamento das plantas em atmosferas enriquecidas em CO2

antonio disse...

"...temos de dizer que o espaço só expande lá longe ... no céu!"

Claro, o Céu é o lugar de todos os milagres.

Isso do CO2 é o uma coisa que o meu carro liberta, que não serve para nada, mas que tenho que pagar na factura da gasolina? E agora por causa do Al Gore também na taxa ecológica?