sábado, agosto 31, 2013

Troika versus Paulo


Nos próximos meses vamos a assistir a uma batalha entre David e Golias. Uma luta completamente desigual que só tem alguma (mínima) hipótese de sucesso para o David se nós o apoiarmos. E devemos fazê-lo porque cairemos com ele.

Já ouviram certamente a afirmação de que “a Europa pretende ser a zona económica mais competitiva do mundo”; agora digam-me lá: como é que isso pode ser conseguido?

Até agora, soube-nos bem a mão-de-obra barata da China, não é verdade? Bom, mas não é isso que faz a Europa competitiva, pois não? O que falta para uma Europa competitiva é mão-de-obra barata, porque o resto tem ela . Têm alguma dúvida a esse respeito? Acham que há algum outro plano sobre a mesa, tipo como fizeram os Dinamarqueses? Claro que não, até porque a solução dinamarquesa levaria pelo menos duas gerações a realizar.

Agora pensemos: onde é que a Europa vai conseguir a sua mão-de-obra barata?

Imigrantes? Os imigrantes baratos são muçulmanos, já viram o perigo que é? Não pode ser.

Além disso, para serem realmente baratos têm de estar estacionados num país de clima temperado, onde os custos de sobrevivência são mínimos.

A escravatura não era solução para o norte dos EUA, porque fazia frio demais – aí a escravatura era impossível. Foi por isso que o norte fez a guerra ao sul, não pensemos que foi por algum princípio humanista. Foi simplesmente para eliminar essa vantagem competitiva do Sul.

Então, se a escravatura é impossível no Norte, necessariamente tem de ser implantada no Sul.
(se os dinamarqueses pudessem ter recorrido à escravatura, seria isso que teriam feito; foi só quando chegaram à conclusão que essa solução era inviável no clima deles que adotaram o atual modelo – porque é o que resulta melhor para os seus ricos no seu quadro)

Bom, mas a Europa pode recorrer à escravatura – nos países do Sul. E, naturalmente, se pode é o que vai fazer. Quem tem poder abusa sempre dele.

Portugal tem condições ideais para isso: talvez o povo mais atrasado e ignorante da Europa, fracas estruturas democráticas, população habituada a obedecer, e uma população capaz de sobreviver com um custo mínimo – os operários de uma fábrica no interior poderão sobreviver das suas hortas e pouco mais.

Na verdade, para obrigar as pessoas a trabalhar é necessário que as obriguem a ter dinheiro – por exemplo, acabando com o ensino gratuito para os filhos. Portanto, o que há a fazer para ter escravos é promover o desemprego e acabar com o ordenado mínimo e com a gratuitidade dos serviços essenciais. Assim as pessoas serão obrigadas a trabalhar para pagar esses serviços – ou seja, o valor alvo do custo total da mão-de-obra inferior a 2,5 euros/hora será conseguido. Isto não é teoria nova, é o velho “esquema da cantina”.

Portanto, esta é a Agenda da Europa. Não é preciso ser bruxo para o perceber, basta abrir olhos e ouvidos. Há anos que sei que é assim e tenho tentado explicá-lo, por isso é que escrevi os posts sobre o Dr. Jordan, as conversas com o Hans e outros.
(na verdade, essa Agenda ainda tem aspetos piores, mas eu nem digo porque não acreditariam)

Estas pessoas que nos gerem não têm quaisquer escrúpulos ou princípios – destruí-los é o primeiro objetivo de qualquer escola de gestão ou economia. Toda esta gente trabalha para os ricos e não tem outro objetivo que não seja servi-los, pois são eles que lhes pagam, agora ou quando saírem do governo. Ou seja, fazem o mesmo que 99% de nós faria no lugar deles…

O António Borges era “frontal”, dizem; percebem o que isso significa? Que o que ele dizia era o que o que todos “eles” pensam mas não dizem…

Bem, mas o que é que tudo isto tem a ver com o Paulo Portas?
Até agora, a Troika executou um plano muito fácil e simples: combinava os seus objetivos com o Governo mas punha nos memorandos só parte. A justificação é que se pusesse tudo por escrito, isso poderia originar um movimento anti-europa. Assim, é o governo que é acusado de “ir além da Troika” mas isso não tem consequências perigosas para a “Agenda”. Até o Sócrates engoliu esta, acha que é o Governo que está a fazer “front load”…

O único que não é ingénuo nem vendido nisto tudo é o Paulo Portas. A direita portuguesa não sobreviverá a esta Agenda e ele sabe disso.

A Troika sabe que esta linda estratégia que tem desenvolvido com tanto sucesso não pode continuar com o Portas. O que vai ela fazer?

Esta gente age sempre da mesma maneira, por isso é fácil prever: esmagar e derrubar o Portas. Como? Levando a austeridade ao limite; e passando a mensagem que a culpa é do Portas para que o Zé corra com o Portas. Causar a desgraça e apontar o “culpado” resulta sempre, não é? Até agora era o Sócrates, de agora em diante vai ser o Portas.


Temos de mostrar que temos estatura para sermos “cidadãos”; caso contrário seremos “escravos”. 

14 comentários:

Diogo disse...

O Sócrates, o Portas? Panascas, ladrões e tão venais como todos os outros. Santa ingenuidade, caro Alf…

vbm disse...

Eu, aconselhado pelo Correia Campos a contratar um consultor financeiro de renome internacional para reestruturar a dívida pública e renegociar o memorandum, proporia Dominique Stauss-Khan, que haveria de pôr de pé um bom plano de desenvolvimento de toda a costa ocidental euro-africana, desde as ilhas britânicas aos nossos arquipélagos do atlântico, portugal, marrocos e mauritânia!

Paulo Monteiro disse...

"(na verdade, essa Agenda ainda tem aspetos piores, mas eu nem digo porque não acreditariam)"

Então? E isso é razão para não dizer? Ninguém tem de acreditar no que o outro diz. Temos de dizer o que pensamos, saber o que o outro pensa, pensarmos todos nisso e depois debater. Esse tipo de ideias são aquelas que eu quero ler mesmo que depois não acredite. Para ler coisas fáceis de acreditar leio a imprensa escrita. Vá lá, exponha a sua ideia. Não estamos a lidar com mentes fechadas aqui. :)

alf disse...

Diogo

Você divide a humanidade em bons e maus; ou analiso considerando que os homens exploram as suas circunstâncias - qd não têm poder são contra o poder, quando o têm abusam dele tanto quanto podem; quando não têm oportunidade de ser corruptos são honestos, quando podem ser corruptos são-no.

Por isso, não interessam as pessoas, interessam as regras da sociedade e os interesses por detrás de cada um. O Portas representa os interesses da Direita, o Passos os interesses dos Ricos, para quem ele trabalha.

A Direita portuguesa considera-se uma elite de sangue azul; são riquinhos mas não contam para estes ricos que comandam o Passos; sabem que serão cilindrados se deixam os donos do Passos tomar conta do Poder.

O Portas está-se nas tintas para o povo português; mas acontece que tem o mesmo inimigo e por isso, nesta altura, é o aliado que o povo pode ter.

Você pode achar que quem pode defender o povo é o PCP; só que o PCP não consegue construir uma imagem de quem é capaz de governar um país, não tem um projecto claro, uma teoria moderna da sociedade, uma ideologia positiva (que não seja baseada na inveja e na destruição) e que respeite a diversidade das pessoas e dos seus desejos; e o resto da esquerda ainda é pior. A imagem que quem não é comunista tem do comunismo é mais ou menos a mesma que os católicos têm dos muçulmanos. E não sem razão: veja a quantidade de cabeças que você já propôs cortar...

Arranje lá uma solução para esta embrulhada sem cortar cabeças. São essas soluções que resolvem o problema, como fez o Mandela, o Ghandi e outros. Isto porque a solução tem de ter a adesão de muita gente, doutra forma em pouco tempo tudo voltaria ao mesmo.

Eu olho para isto como um jogo de xadrez e procuro as peças que podem influenciar o resultado para o meu lado; e, nesta altura, vejo o Portas como uma delas - aliás, sempre pensei que ele acabaria por dar um murro na mesa, porque sei quais são os interesses que ele defende e sei que não são os da troika.

Claro que termos o Sócrates a defender os nossos interesses seria muito melhor para nós, mas o PCP juntou-se ao PSD para acabar com ele, pelo agora agora resta-nos o Portas.

alf disse...

vbm

Genial!

por alguma razão lhe prepararam a armadilha que o tirou da jogada, não é? Evidentemente que ele tem capacidade para fazer frente a estes terroristas financeiros, por isso tiveram de correr com ele.

Assim um pouco como o Benfica fez com o Hulk para bater o Porto... nada como estudar primeiro os pontos fracos do "inimigo" e depois estender a armadilha...

O problema é que este governo está ao serviço do "inimigo", portanto nunca aceitaria tal sugestão.. prefere aconselhar-se com tipos impolutos como o Machete e de preferência com ligações ao BPN...

alf disse...

Paulo Monteiro

Sabe porque é que as Constituições foram inventadas, não sabe? Para limitar os abusos do Poder. É por isso que o Governo quer acabar com a Constituição; coisas como o corte retroativo de algumas pensões não podem ter outra finalidade que não seja afrontar a Constituição porque isso é inaceitável à luz de qualquer mínimo princípio.

A técnica dos exploradores é sempre a mesma: arranjar um culpado para as desgraças que causam. Quando vemos alguém empenhado em passar culpas, já sabemos que o culpado é ele.

O trabalho escravo é sempre um trabalho de curta duração - um escravo pode durar de 2 a 10 anos, conforme o sistema. Se durar mais do que isso, está a ser insuficientemente explorado.

Portanto, na melhor das hipóteses, os trabalhadores portugueses terão uma vida útil de 10 anos, ao fim dos quais estarão cheios de tendinites ou "burn out" no caso dos trabalhadores de "colarinho branco". Que fazer com eles depois?

As empresas que querem cá instalar não querem suportar os custos da sua sobrevivência. Por isso, é preciso acabar com os sistemas de segurança social, porque não vai haver ninguém para os pagar - isso iria onerar o custo da mão-de-obra.

Ou seja, as pessoas terão emprego durante 10 anos e depois serão abandonadas, diminuídas física e mentalmente.

As pessoas nas altas esferas não têm quaisquer sentimentos "humanos", que vêm como uma coisa primitiva. Regem-se unicamente por interesses. Sempre foi assim. E quem não é assim, nunca chega ao topo. Todos os que lá estão são assim.

Nem podemos estranhar muito - em Portugal também existem centenas de milhares de pessoas abandonadas à sua sorte; e a pequena pensão que acabou por se atribuir aos velhos agricultores etc, está farta de ser questionada como um "custo social insuportável"

naturalmente que para as empresas que vêm para aqui explorar a mão-de-obra, suportar a sobrevivência de pessoas com mais de 35 será um custo social insuportável. Nada de novo, conheço muita gente que pensa o mesmo das pessoas com mais de 70.. ou 60.. ou 50... é só uma questão de número.

Da mesma maneira, as pessoas não estão muito preocupadas com a retroatividade do corte das pensões, sem perceberem que isso significa que no futuro eles não terão pensão - pois se o governo a pode cortar a seu belo prazer, qual é a garantia? Não há, e como não há, não vai haver pensão - quem tem um poder, abusa sempre dele.

Portanto, o quadro que está desenhado é este; e será o que acontecerá fatalmente se as pessoas se forem deixando ir - como os judeus a caminho da câmara de gás.

alf disse...

Paulo Monteiro

Acabo de ver no 2711 que o Passos já está a tentar passar a mensagem de que os desempregados estão nessa situação por causa da Constituição...

...um espertalhão este Passos... mas ele sabe que as pessoas são muito primárias, por isso é só ir repetindo as acusações à Constituição que as pessoas acabam por concordar com ele. Mais um pouco e vai ver a surgimento de comentadores a dizerem coisas e loisas da Constituição.. afinal a constituição serve para quê, não temos leis? Não somos um Estado de Direito?

Esquecem-se é de dizer que sem Constituição as leis serão apenas as que o Poder quiser...

Diogo disse...

Caro Alf,

A humanidade é constituída por todos os matizes de pessoas que vão do maior FdP do planeta até ao gajo mais bonzão do mundo. A esmagadora maioria das pessoas nem é muito boa nem muito má. Sucede que, os políticos são escolhidos (pelos que têm o Poder) a dedo pelos seus maus fígados. E acontece que o Portas e o Sócrates (além de servirem os mesmos donos) fazem parte da pior escumalha deste rectângulo. Nunca consegui perceber a sua ingenuidade no seu apreço por eles.

Numa coisa você tem razão: «o que interessa são as regras da sociedade». E, como você sabe, até agora, só uma democracia «representativa» (nos bolsos Grande Dinheiro) é que nos governava e nos dava a ilusão da «liberdade de escolha».

Mas agora, com a Internet e as Telecomunicações a evoluírem a um ritmo exponencial, a tendência será caminharmos aceleradamente para a Democracia Directa. Não mais «representantes» vendidos. As pessoas, debaterão, negociarão, ajustarão e votarão directamente nos assuntos do seu interesse.

Tal como a Internet está a fazer um bypass mortal aso Media tradicionais – Televisões, jornais, rádios e livros, também o fará aos órgãos políticos tradicionais. Os parlamentos venais, tal como os jornalistas a soldo têm os dias contados.

alf disse...

Diogo

Inteiramente de acordo. O que é preciso é que os mesmos de sempre não consigam controlar a informação. Essa sua capacidade é que me arrepia e o exemplo do que conseguiram com a teoria do Aquecimento Global é arrepiante e mostra que se pode enganar toda a gente durante todo o tempo mesmo contra as evidências mais óbvias nesta era de tão grande circulação de informação.

mas, como você, também tenho esperança nessa mudança.

Paulo Monteiro disse...

Ah, pensei que fosse uma teoria da conspiração mais elaborada Alf! Em relação a isso estou totalmente de acordo. A Constituição e o Estado Social são os alvos a abater, claro.

Paulo Monteiro disse...

Em relação ao Dominique Strauss-Khan é curioso que ele aparece no documentário "Inside Job", que recomendo vivamente a quem não viu, a ser entrevistado ainda como presidente do FMI numa postura honesta e descomprometida.

Vejam á 1h20m do vídeo, embora ele não apareça só nesse momento: http://vimeo.com/33870165

maf disse...

Pois... não sei. Mas são tão boas deduções como quaisquer outras...

alf disse...

Paulo Monteiro

Por alguma razão o Strauss-Kahn teve de ser corrido... aquela cena do hotel tem todo o ar de ter sido uma armadilha preparada para o apanhar.

alf disse...

maf

pois, eu também não sei... ando à procura de entender... hei-de errar muito pelo caminho mas só caminhando é que chegamos a algum lado, não é? Vou andando e vou tropeçando aqui e ali... mas tenho sempre esperança de chegar ao destino. É uma questão de persistência,quem insiste sempre alcança, não é?