sexta-feira, março 01, 2013

A Evolução é por camadas e implica Inteligência

A Evolução, como um arcoíris, estrutura-se em camadas


Portanto – comecei, fazendo um ponto da situação – já deu para perceber que a evolução dos seres vivos não é muito diferente da evolução das coisas feitas pelo Humano, nomeadamente dos computadores. Esta resulta da evolução da tecnologia, dos componentes e dos programas de baixo e alto nível. Cada uma destas 4 evoluções é independente. Ou seja, as pessoas que trabalham a desenvolver a tecnologia atual, ou que buscam novas tecnologias, como a orgânica, a quântica, a luminosa, nada sabem dos sistemas operativos; as pessoas que se ocupam do fabrico dos microprocessadores e memórias só estão preocupadas em conseguir dispositivos que realizem o máximo de instruções por segundo (IPS), que minimizem o consumo de energia, o custo de fabrico; também nada sabem dos programas que hão de utilizar essas capacidades; mesmo as pessoas que desenvolvem os sistemas operativos também nada ou quase nada precisam de saber dos programas de aplicação que sobre eles vão funcionar. É uma evolução por camadas, onde cada camada depende das capacidades da anterior mas ignora a camada seguinte.

- Estou a perceber a tua analogia; parece que tens alguma razão, a tecnologia orgânica que suporta a célula teve que evoluir, necessariamente, não surgiu do nada... não sei é se ainda evolui, ou quando deixou de evoluir. Da mesma forma, até se chegar à nossa célula teve de haver um longo processo evolutivo, e sabemos que este acompanhou a evolução das formas de vida, pois as nossas células são mais complexas e sofisticadas do que as das bactérias, das plantas e certamente dos animais inferiores; tu pensas que as nossas células serão mesmo mais evoluídas que as do chimpanzé, e isso é que eu já não sei se estou de acordo contigo. – Aqui o Hans fez uma pausa, à espera de uma reação minha, bebeu lentamente um gole de cerveja, observando-me, mas eu mantive-me impávido, forçando-o continuar o seu raciocínio:

 – Depois, tu consideras que o programa que define o ser vivo, codificado no DNA, evoluiu aproveitando cada nova capacidade celular; provavelmente, atendendo à analogia que fizeste com os programas de baixo e alto nível nos computadores, suspeito que pensarás que também existe uma programação intrínseca às células, uma espécie de sistema operativo, que determina as operações a realizar pela célula para construir uma proteína a partir do código genético, bem como todas as imensas operações que as células realizam independentemente do organismo a que pertencem; o DNA corresponderá ao programa de alto nível, o programa que define o ser. – Esperto o Hans, percebeu bem o meu pensamento. Confirmei o seu raciocínio:

-Acertaste no essencial. – exprimi um sorriso de aprovação - Isso define uma base para começarmos agora a analisar como se faz a evolução.

- Pois é, pois é, - ar malandro aflorou na face do Hans – só há uma pequena grande dificuldade nesse teu raciocínio que parece tão acertadinho..

- Qual?

- Tu estabeleceste uma analogia com a evolução dos computadores; mas esta acontece devido à acção de uma Inteligência exterior, a Humana; ora, sendo assim, a tua analogia aponta para a existência de uma Inteligência exterior, um Deus; e, sendo assim, então já não estás a falar de Evolução mas de Criação.  – o Hans terminou definitivo; para ele, este argumento arrumaria todo o meu raciocínio.

- Há um erro no teu raciocínio, mais uma das presunções que tanto inquinam o nosso pensamento. – foi a vez do Hans ficar desorientado – Erro? Onde?

- Claro que Evolução implica Inteligência, seja evolução dos produtos que fazemos ou da vida; é mesmo por isso que há tantas semelhanças entre a evolução dos computadores e a da vida, ambas são o resultado de processos Inteligentes; o teu erro é presumir que a Inteligência que produz a evolução da vida tem de ser exterior a ela. Estás a presumir que Inteligência é algo que só a nós ou a um Deus pertence; ora a Inteligência necessária à evolução da vida é intrínseca, interior, ao sistema vivo, não precisa de ser exterior. Esse é o busílis de toda esta questão, compreender o processo Inteligente intrínseco à Vida que gera a Evolução. O grande mérito do Darwin foi ter proposto um tal processo, o processo de geração de hipóteses e seleção, que é o processo mais básico de Inteligência. Ao fazer isso, ele criou uma alternativa à Inteligência Divina. É essa a sua grande, genial, contribuição.

- Ok ok, já me estou a lembrar do que disseste sobre os processos de Inteligência, de como um processo H+S é capaz de resolver problemas... – O Hans calou-se por momentos, pensava em qualquer coisa – Mas.... não começaste esta conversa por dizer que o Darwin estava errado, como o Ptolomeu, que a Seleção Natural nunca poderia explicar a evolução dos animais superiores?

- O processo que o Darwin propôs, o processo H+S, é o processo mais básico de Inteligência; só funciona em situações muito especiais, quando a probabilidade de gerar e testar a hipótese certa em tempo útil é aceitável. Serviu para encontrar as primeiras sequências orgânicas auto-reprodutíveis, depois para obter destas outras mais complexas e, naturalmente, para se chegar a sistemas com processos de inteligência mais sofisticados, que foram gerando processos ainda mais sofisticados até se chegar ao nosso cérebro. A nossa Inteligência não surge do nada nem da inspiração divina, não é verdade?

- Bem, eu penso que não é uma inspiração divina... – o meu sorriso enigmático instava o Hans a prosseguir o raciocínio - ah, estou a perceber-te, se não é de origem divina mas natural, então teve de iniciar-se num processo H+S; porém, ela é muito mais sofisticada que um tal processo, portanto é a prova que um processo H+S é capaz de gerar um processo mais sofisticado de Inteligência, a nossa; e como isto já é verdade para formas de Inteligência menos desenvolvidas que a nossa, então há um contínuo de processos de inteligência mais sofisticados que o H+S, o qual só terá servido para o primeiro passo, para o arranque do processo...

- Ora vês? Desde que não se presuma que a nossa Inteligência tem origem divina, somos necessariamente levados à conclusão que o processo H+S, o proposto pelo Darwin, apenas pode ter servido para o arranque do processo evolutivo da vida, sendo esta o resultado de processos sucessivamente mais inteligentes. Estes processos já não funcionam no esquema H+S, portanto a evolução das espécies não resulta da forma elementar de inteligência proposta por Darwin, não depende de uma geração mais ou menos aleatória de hipóteses nem de uma seleção natural.

- Bem, estás a adiantar-te nas tuas conclusões... o facto de depender de um processo mais sofisticado que o H+S, o que eu aceito, não significa que não dependa de uma Seleção Natural! Era preciso que soubéssemos como são esses processos sofisticados para saber se dependem ou não de uma seleção natural!

- Tens toda a razão; é precisamente por saber que processos serão esses que eu faço essa afirmação.

O Hans pousou bruscamente o copo que ia levar à boca e, esbugalhando os olhos, disse: - Ah, mas isso surpreende-me muito! Nunca me falaste noutros processos de Inteligência além do H+S... isso interessa-me muito!

Larguei uma gargalhada perante a espontaneidade da reacção do Hans. – Bem podes interessar-te, porque o que te vou dizer vai fazer terminar o reinado de ideias que minam, há muito tempo, a construção de uma sociedade humana melhor; ideias cujo último reduto é esta Europa em autodestruição; ideias que alguns povos já substituíram por ideias mais correctas, pelas que geram a evolução da Vida e da sociedade humana.

(continua)

13 comentários:

Carlos disse...

Caro alf
Não sei o que é, mas há aqui qualquer coisa que me escapa, ou não percebo.

“...ora a Inteligência necessária à evolução da vida é intrínseca, interior, ao sistema vivo, não precisa de ser exterior.”

É hábito falar-se de inteligência artificial, o que para mim não é inteligência, mas sim capacidade de processamento. Mas para já o que penso não é importante.

Que inteligência é esta que está a falar? Há vários tipos de inteligência, várias inteligências?

alf disse...

Carlos

"Há vários tipos de inteligência, várias inteligências?"

Para responder a esta pertinente pergunta há uma a que é preciso responder primeiro: o que é Inteligência?

Num texto que espero venha a ser publicado, eu dou uma resposta: é a capacidade de resolver um problema.

Na etiqueta "Inteligência", se for os posts mais antigos, encontrará os meus primeiros pensamentos sobre o assunto; começo por analisar um problema elementar, um labirinto, e mostrar como um simples processo de geração aleatória de hipóteses e teste (seleção) pode resolver o problema - o processo a que chamei H+S (Hipótese + Seleção).

Este processo elementar é o processo proposto por Darwin. É um processo capaz de resolver certos problemas, por isso, de acordo com a minha definição de Inteligência, é um processo de Inteligência, o mais elementar.

se tiver paciência para ver os posts mais antigos dessa etiqueta, verá que características deve ter um sistema para ter "inteligência" e até como esta se pode medir. Isto é importante do ponto de vista físico pois, como saberá, segundo a 2º lei da termodinâmica o Universo deveria tender para o Caos e ele modifica-se exatamente no sentido contrário; a razão dessa evolução do Universo é esta propriedade de Inteligência, que não consta ainda dos manuais da Física mas que um dia constará.

Essa forma elementar de inteligência origina processos mais sofisticados, capazes de resolver problemas que ela já não pode. A Evolução da Vida exige esses processos mais sofisticados e é sobre eles que estou a discorrer.

Qual é a importância disto?

É que o processo H+S, o proposto por Darwin, a "sobrevivência dos mais aptos", é a raíz do capitalismo selvagem, da situação social em que a europa está a cair, como foi tb a justificação da eugenia que quase todos os países "avançados" praticaram (a Suécia só a extingiu em 1976!) A justificação para a ideia de que 1/3 da população é dispensável, o terço de baixo.

Acontece que é exatamente ao contrário, a evolução não depende de um processo H+S mas de algo muito diferente. A generalidade dos países do mundo já percebeu isso, menos na europa do euro.

para que possamos sair do buraco social onde estamos a cair, é imperioso terminar com o reinado da ideia da "sobrevivência dos mais aptos". É isso que estou a tentar fazer.
Abraço

UFO disse...

meu amigo que venha esse texto.
"o que é Inteligência? "
"... é a capacidade de resolver um problema"
OK. mas em 1º lugar como nasce a necessidade de resolver um problema?
Por exemplo a Vida luta obstinadamente por manter o seu ambiente controlado. Porquê?
Supondo que se terá iniciado num ambiente muito propício (eu acho isto obrigatório) e que progressivamente se foi afastando dessas condições primordiais. A Vida terá 'descoberto' as virtudes de uma membrana protetora, e agora num registo quase bíblico: e a Vida 'viu' que era bom. Será que é apenas por tradição que a Vida (organizadora) mantém a 'luta' entre ela e o exterior desorganizado? Será que a 'tradição' é suficiente como motivo perpetuado ? Não vislumbro uma solução mais convincente e bem que gostava de saber.
Um abraço.

alf disse...

UFO

a tua questão é muito pertinente.
Essa definição de Inteligência é o ponto de partida para uma análise dedutiva do assunto; através dela chego à conclusão que a Inteligência é:

uma propriedade dos sistemas onde a interacção dos componentes gera componentes com propriedades novas.

Um sistema termodinâmico é um sistema de inteligência nula, por isso tende para a desorganização máxima

Um sistema onde ocorrem reações químicas, ao contrário, gera componentes com novas propriedades; em consequências, as propriedades do sistema modificam-se. É esta modificação que constitui a evolução.

Portanto, num sistema Inteligente a entropia varia no sentido oposto àquele que toma num sistema termodinâmico.

Neste post

http://www.outramargem-alf.blogspot.pt/2008/08/o-princpio-da-in-inteligncia-natural.html

que eu acho importante, refiro que já o Shrodinger alinhou pensamentos deste tipo, tendo chamado à propriedade que eu chamo Inteligência "negentropia".

A Vida, na sua fase inicial, não "descobriu" nada, as combinações de átomos aconteceram por acaso e foram ficando as que eram mais estáveis e auto-reproduzíveis, que canibalizavam as outras. Era Inteligência do tipo H+S, ou nível 1.

Neste processo foram-se formando estruturas cada vez mais complexas - isso é a consequência necessária de um sistema com "Inteligência", tal como o crescimento da desorganização é a consequência necessária de um sistema sem ela, um sistema termodinâmico.

Isto eu consigo compreender; mas não consigo compreender tudo; ainda não compreendi como surge uma Inteligência de 2º nível, limito-me a constatar que isso sucedeu porque podemos observá-la, quer no funcionamento da mente quer na evolução / adaptação dos animais.

Ou seja, uns vislumbres de compreensão nesta matéria não eliminam a nossa profunda ignorância; estamos apenas a dar os primeiros passinhos... sabe-se lá o que poderemos vir a encontrar mais adiante.

(na verdade, é essa expectativa que nos alicia nesta caminhada, não é?)

Abraço

vbm disse...

Mas o Prigogine não mostrou que os processos neguentrópicos da organização inteligente da matéria só eram possíveis junto de fontes dispensadoras de muito desperdício de energia, mantendo-se a lei termodinâmica da entropia absolutamente dominante!?

Pelo que, à la longue, tudo ficará reduzido «a cinzas, pó e nada» como dizia aquele velho professor de liceu (no Porto!), Cruz Malpique, sempre que terminava de descrever na aula, o final de uma batalha histórica :)

alf disse...

vbm

Eu não falaria de desperdício de energia; trata-se de transformação de energia em Inteligência. O Universo nasce cheio de energia e termina cheio de Inteligência... De que é capaz um Universo cheio de Inteligência?

Há um conto creio que do Azimov em que no fim, a Inteligência do universo inteiro encontra a solução para fugir ao destino de cinzas: diz "Faça-se Luz"

Cá para mim, o Azimov compreendia muito melhor o Universo do que o Prigogine.

Além disso, há umas coisas que o Prigogine não sabe - as coisas que a minha teoria sobre o Universo descobriu



vbm disse...

:))

O Azimov é giro. Li-o há vários anos, mas já não me lembro de nada específico.

Sim, aquela tua ideia anti-expansão do universo, antes-contracção específica do nossa ponto material do espaço, é perfeitamente o contrário do que se diz suceder; a mim sugestiona-me positivamente, porque é mais simples, e o tempo, no fundo o que é senão ou uma comparação de espaços ou, - o nosso caso como viventes -, um deperecimento da matéria, a dissolução do que é complexo, a entropia como seta do tempo?

alf disse...

vbm

Não encontrei esse conto entre os meus livros mas encontrei-o facilmente na net, pelos vistos é muito conhecido. Podes ler aqui:

https://docs.google.com/document/d/1505E5fUtrQpQYiE0gaZ1m5_HFwg8O1rjpiqn2XlocNc/preview

O que dizes do tempo é muito acertado; para um observador tal que o espaço seja invariante, a matéria vai diminuindo de tamanho; ao ficarem mais pequenos os átomos e os corpos, com a velocidade da luz é a mesma e as distâncias menores, tudo se vai passando cada vez mais depressa (para um observador invariante no espaço)

À medida que a dimensão da matéria tende para zero, também a unidade de tempo tende para zero, ou seja, a velocidade dos fenómenos tende para infinito.

No limite, para um observador espacialmente invariante, o universo material existiu durante um certo tempo e desapareceu, desvaneceu-se; mas para um observador material, o seu universo é ilimitado no tempo.

Desta forma algo de duração infinita (para um observador material) pode ter uma duração finita (para um observador espacial)

Assim, o Universo pode gerar uma sequência de universos materiais, cada um infinito na sua unidade de tempo própria mas finito para um observador espacial.

Curioso, não é?

Simão Bonvalot disse...

Alguma forma de contactá-lo, caro alf, que não através destes comentários ?

Simão Bonvalot disse...

Alguma forma de contactá-lo, caro alf, que não através destes comentários ?

Simão Bonvalot disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Simão Bonvalot disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
alf disse...

Simão, desculpe, só agora vi a sua mensagem. Pode contatar-me para alf.g.oliveira@gmail.com