segunda-feira, fevereiro 02, 2009

A Mafia, o Obama e o Sócrates

A avalanche de emails anti-Sócrates que tenho recebido obrigam-me a interromper o que me ocupa e a vir falar-vos de algo que penso ser muito importante.

Na nossa sociedade ocidental desenvolveu-se uma actividade de gestão de negócios e dinheiros que tem como único objectivo o lucro. Único Objectivo. Não há quaisquer preocupações sociais que a condicionem – os que tinham esse tipo de preocupações foram há muito corridos pelos que as não têm, logo mais bem sucedidos na maximização do lucro.

Este gestores tornaram-se especialistas na manipulação dos consumidores, dos políticos e até dos
empregados das empresas para que trabalham.
Diferentemente das mafias de antigamente, não infringem a letra da lei.
Mas fazem tudo o que é imaginável e não imaginável que não colida com a letra dela.

Por exemplo, não têm problemas em fomentar conflitos locais se isso for vantajoso para a venda de armas ou de outras coisas.
Os esquemas de cartões de créditos são pensados para extrair das pessoas o máximo dinheiro possível, através de criação de dívida e de juros usuários, que se podem tornar crescentes com o tempo se perceberem que a pessoa já não tem condições económicas para amortizar a dívida.
Mas o grande esforço é feito junto dos políticos.
E isto é considerado legal em alguns países, como os EUA – é a actividade de lobbying.

Ao darem generosas contribuições aos candidatos, conseguem a aprovação de leis que lhes são favoráveis – que aumentam os seus lucros.
E ao darem empregos a ex-membros dos governos, deputados e senadores, também conseguem contratos com os governos que doutro modo não conseguiriam.

Em Portugal, a Sociedade Lusa de Negócios (BPN) parece ter um riquíssimo historial de adjudicações do Governo conseguidas desde há vários anos.
Nos EUA é particularmente gritante que a indústria farmacêutica consiga praticar os preços mais altos do mundo ocidental – como é isto possível no país da livre concorrência, não é um paradoxo gritante? Será que o facto de as campanhas de uns 99% dos senadores americanos terem recebido grossas quantias da indústria farmacêutica tem a ver com o assunto?

Algumas pessoas pensam que a actual onda anti-Sócrates tem os professores por detrás. Mas não, os professores são só um dos instrumentos cegos. Outros pensam que é o PCP. Decerto que ao PCP interessa garantir o actual nível de excluídos do ensino, pois são eles que engrossam as suas fileiras. Mas também não é o PCP. Outros pensam que é a oposição. Outros pensam que é verdade. Mas estão todos enganados. Por detrás disto está a máquina mais poderosa do Mundo.

O crescimento imparável da desigualdade levou Obama ao poder. Ele sabe que o caminho do futuro passa pelo combate aos grandes interesses económicos. Se o não fizer, a sociedade estagnará, como sempre aconteceu no passado, transformar-se-á numa sociedade de senhores e escravos, de classes e castas. Bloqueada na sua própria desigualdade, o fluxo económico estancado.

Mas esses interesses económicos não estão dispostos aquilo que ele quer fazer e que é a única saída: redistribuir a riqueza.
Portanto vão lutar contra ele. Como?
O método é bem conhecido, se não inventarem nada de novo será assim:
primeiro, uma suave campanha de difamação; em seguida, fomento de desestabilização social (é fácil, o desemprego está aí, além de que ele terá de atacar os privilégios de muitos); depois, uma campanha de difamação mais intensa, tão mais forte quanto mais fraco ele estiver.

Os processos tipo «Casa Pia» são uma metodologia já conhecida e experimentada noutros países; já é tão conhecido que duvido que voltem a recorrer a ele. Não sei o que vão fazer, mas sei que já começaram: as notícias sobre o meio-irmão apanhado com droga a ocuparem páginas inteiras de jornais são um primeiro teste. Depois virão certamente histórias do seu passado, ninguém chega ao topo sem acotovelar alguém, um fundinho de verdade chegará para alimentar as mais torpes insinuações.

Será que o povo americano é tão tolo que irá deixar-se conduzir pela mafia financeira?

Isso sempre aconteceu no passado...

E o que é que isto tem a ver com o Sócrates?
Tudo. Porque Sócrates e Obama estão exactamente no mesmo papel. Ambos sabem exactamente o que têm a fazer. Ambos anunciaram exactamente o mesmo. Não é por acaso que o Sócrates começou pela indústria farmacêutica e o Obama anunciou que isso será uma prioridade para ele.

A Mafia sem escrúpulos está no terreno. Nada a pode derrotar – ela tem todo o dinheiro, ela domina a comunicação social, ela domina a cabeça das pessoas.

... só há uma esperança: não há alternativa ao Obama. Ou ao Sócrates. Na hora da verdade, façam as campanhas que fizerem contra eles, suficientes pessoas votarão neles. Não porque sejam esclarecidas, infelizmente a maior parte não o será, mas simplesmente porque não têm alternativa.
(na verdade, na verdade, nenhum político a sério quer ser alternativa a qualquer deles; todos os políticos sabem o que vos digo e os que são minimanente espertos sabem que é preciso que os Obama e Sócrates deste mundo ganhem esta guerra).

15 comentários:

alf disse...

Neste post até parece que o Sócrates e o Obama estão em pé de igualdade. Não é isso. O Obama tem sobre o seus ombros a tarefa gigantesca de reformular a teoria económica que os EUA seguem à muitos anos e que serve de orientação para o mundo inteiro.

O papel do Sócrates é à nossa dimensão, não vai influenciar o mundo, nós não fazemos as regras do capitalismo; mas não deixa de ser o mesmo tipo de luta contra os lobbyes instalados e não declarados cá da terra, sejam económicos ou doutros tipos.

Ele, como o Obama, como o Salazar, não serão compráveis, não são manipuláveis, não vão atrás de dinheiro, são muito mais ambiosos do que isso - querem um papel na História.

UFO disse...

um papel na história é um excelente incentivo, se for com boas razões.
Oxalá vingue a racionalidade de um futuro com melhores perspectivas.

antonio - o implume disse...

???

Que eu saiba a mãe do Obama não comprou um apartamento a uma offshore...

A diferença entre Obama e o Sócrates é que Obama pretende combater o sistema e o Sócrates é o sistema.

alf disse...

UFO

estou solidário com esse voto!

alf disse...

antónio

a empresa em offshore é a senhoria do prédio; a generalidade das casas que se vendem no algarve estão em offshores.

Se as coisas continuarem assim, a sua próxima casa tb será comprada a uma offshore.

E qd o governo quis taxar as casas de offshores como as outras, ai aqui del-rey que o turismo inglês ia acabar. E por isso, de certa forma, pagamos todos para que alguns tenham casa a pagar menos que nós.

Não se iluda, a sociedade está a fracturar-se ente os 10% mais ricos e os outros, as «famílias» como agora se diz ou o «povo» como se dizia dantes. E se você não está nos 10% mais ricos ficará no povo e o povo ficará todo igual ou quase.

E os 10% mais querem acabar com o estado porque o papel deste é fazer a redistribuição da riqueza, logo, limita-lhes os lucros.

Por isso, políticos e os grandes poderes económicos estão em luta feroz.

e não estou a falar dos belmiros ou dos amorins, esses têm cara, estão envolvidos na sociedade; estou a falar doutros.

Um grande problema é que as pessoas são de uma cupidez cega e estão convencidas que vão ser ricas, sobretudo se baixarem os impostos. Não vão, estão num jogo viciado, só enriquece quem está nos 10% mais ricos, os outros 90% só empobrecem.

antonio - o implume disse...

Por isso eu voto PCP, não porque sejam solução mas porque incomodam esses tais 10%...

alf disse...

António

Será?

Bem, devo dizer que não me parece que vote PCP, pois já conheço o seu sentido de ironia..

Mas note o seguinte: a sociedade que convém actualmente a um PCP é a mesma que convém aos altos poderes económicos: uma sociedade de senhores e «povo»; porque é no povo, operário e camponês, que o PCP se suporta. Sem «povo», o PCP extingue-se.

Por isso, o PCP é tão adversário destes Obamas e Sócrates que querem acabar com os pobrezinhos como o é «o grande capital»...

(sem o «grande capital» e sem os «operários e camponeses», que futuro para o PCP? por isso o PCP luta contra o «grande capital»... mas não o quer ver derrotado... se você fosse lider comunista como faria?)

antonio - o implume disse...

Eu penso assim: a quem teme mais um Dias Loureiro? Que partido mais o incomoda?

Já tivemos os senhores da gravata, agora precisamos dos feios, porcos e maus!

Joaninha disse...

Alf,

Não sei não...Vou ter de concordar com o António, O Socrates é o sistema. Certo que com uma maquina de markting e gestão de imagem, a que nós aqui no burgo não estamos nada acostumados. Agora se ele anda a lutar contra o poderes instalados ainda ninguém deu por isso.

Beiijos

alf disse...

Joaninha

O Sistema... somos nós! Por isso é que temos de ser responsáveis com o que fazemos, cumprir horários, marcar e atingir objectivos. Por isso é que temos de ter uma formação que nos permita actuar neste nosso Sistema, que nos permita ser empreendedores, que nos permita perceber os princípios necessários à sociedade humana, ter uma responsabilidade e um papel social.

A desigualdade retira-nos o papel de actores do sistema. Infelizmente, em Portugal, estamos tão habituados a não sermos actores do sistema, um sistema que não entendemos e que a escola não nos ensina...

O Sócrates não tem feito outra coisa a não ser lutar contra os interesses (mal)instalados e por tentar pôr o Sistema a funcionar, não sei como é que ainda não deste por isso!

Beijos

leprechaun disse...

Nunca se deve confiar em quem mente para se proteger a si próprio e não mostra respeito pela verdade!

Tudo o mais deixa de ter sentido ou importância, quando qualquer líder demonstra tão cabalmente um desprezo frontal pela ética pessoal. E isto sem falar da responsabilidade política pelos actos dúbios, deixo esse julgamento aos experts cá do burgo.

E isto vem já muito de longe, aliás mesmo este caso Freeport não é novo, apenas requentado.

Logo, nada mais a acrescentar, a ganância e a sede do poder fizeram-no finar!

This one is dead and gone... for good or bad!

Let's bring another instead! :)

Diogo disse...

Alf: «O crescimento imparável da desigualdade levou Obama ao poder. Ele sabe que o caminho do futuro passa pelo combate aos grandes interesses económicos.»


Não, meu caro. Quem levou Obama ao poder foram os grandes interesses económicos. O endeusado Obama, defensor dos fracos e dos oprimidos, é uma istória para idiotas. Basta ver quem o financiou e com quanto.

alf disse...

leprechaun

As altas esferas do poder, político ou económico, são frequentadas por indivíduos capazes de todo o tipo de tropelias.

O sócrates errou qd aceitou o canudo da Independente - mas tb sabia que se não o fizesse seria trucidade por não ser licenciado, ser apenas um «engenheiro técnico»; que isto não é nenhum brasil..

Mas qd ao resto só vejo manobras maquiavélicas.

e eu não alinho com manobras maquiavélicas, ergo-me logo contra elas.

Sugeria-lhe a leitura da última «Pluma Caprichosa» da Clara Ferreira Alves, no Única do Expresso.

Quando brandimos a lança, temos de ter a certeza que escolhemos o alvo certo.

alf disse...

Pois é Diogo, basta ver quem os financiou... parece que você não estudou bem a lição porque o Obama fez uma campanha baseada nos pequenos donativos.

Recomendo-lhe, ainda, como ao Leprechaun, a leitura da última Pluma Caprichosa.

bruno cunha disse...

só pelo título deste post, eu complemento com isto:

http://www.semanariotransmontano.com/noticia.asp?idEdicao=174&id=7425&idSeccao=2422&Action=noticia

;)